ENTREVISTA

Monica Iozzi diz que optou por não pagar indenização a Gilmar Mendes

Atriz comentou sobre o caso em entrevista ao jornalista Pedro Bial

divulgação/TV Globo
Monica Iozzi - Atriz revelou que não aceitou negociar com o ministro em troca de retratação

Monica Iozzi participou do programa “Conversa com Bial” desta quarta-feira, 13, onde comentou sobre o caso em que foi condenada a pagar R$ 30 mil ao Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. “Eu tenho direito, como cidadã, de questionar, sim, a decisão de um ministro. E na época, ele era presidente do Supremo", disse Iozzi que acredita não ter feito nada de errado.

Ao ser questionada sobre a polêmica, no início da conversa, a atriz chegou a brincar, pedindo dinheiro à plateia para pagar uma próxima condenação. "Alguém me arruma um chapéu, uma sacolinha, porque assim, falar de Gilmar Mendes eu posso falar, mas eu acho que já podia começar a juntar algum dinheiro da plateia, porque caso eu seja processada novamente, eu já comecei uma vaquinha", ironizou Monica.

Atriz disse que Gilmar chegou a propor diminuição da indenização, caso ela se retratasse publicamente sobre o caso, mas que não aceitou negociar com ele.

"Ele me propôs alguns acordos porque a repercussão foi muito negativa para ele. Ele queria que eu tirasse o post que eu fiz e fizesse um novo post de retratação, me desculpando pelo o que eu tinha feito e doasse 15 mil em cestas básicas para instituições de caridade de Brasília”, disse Iozzi a Bial. “Eu falei não. Eu não sou rica, R$ 38 mil não é nem de longe pouco dinheiro para mim, mas eu pensei 'eu não falei nada de errado. Eu vendo o meu apartamento, mas eu não vou fazer um acordo com esse homem'. Não é justo o que ele fez", completou a atriz.

Monica foi condenada em outubro do ano passado por criticar no Instagram uma decisão do ministro. "Eu não me contive e fiz um post dizendo: 'Se um ministro do Supremo Tribunal Federal age dessa maneira, não sei o que esperar da Justiça'. É mais ou menos isso. E aí ele me processou por calúnia e difamação", disse Monica.

A publicação se referia à concessão de habeas corpus ao médico Roger Abdelmassih, indiciado por crimes de estupro e manipulação genética irregular.

"O ministro Gilmar Mendes deu um habeas corpus para um médico que tinha uma sentença de mais de 200 anos de prisão. Era um médico que se aproveitava das pacientes enquanto elas estavam sedadas, e o ministro, não sei por qual razão, resolveu dar um habeas corpus para esse cidadão", disse Monica na entrevista.

A condenação da atriz foi dada pelo juiz Giordano Resende Costa, da 4ª Vara Cível de Brasília. Para Giordano, Mônica “abusa do seu direito de liberdade de expressão”, por imputar ao ministro a cumplicidade do crime de estupro, “tornando questionável o seu caráter e imparcialidade na condição de julgador”.

"A palavra liberdade já não deixa claro que você pode se expressar como você quiser?", afirmou, frisando ainda: "A não ser que você esteja sendo preconceituoso, cometendo algum crime", falou Iozzi no programa de televisão. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)