FORTALEZA

Parque do Cocó sofre com furto de grades

Ascom
Parque do Cocó sofre com furto de grades

Nos últimos meses, tem havido um aumento na frequência e no volume de gradis furtados nos limites do Parque do Cocó. O problema, no entanto, não é novo, com aproximadamente 500 grades já tendo sido arrancadas desde abril de 2015, data que marca o início da atual gestão da administração do espaço. Com cada grade tendo 2,85 metros de largura, a estimativa é de que um equivalente a 1,425 quilômetros já tenha sido furtado nos últimos dois anos e meio. Entre as grades removidas, apenas cerca de 50 (10% do total furtado) foram recuperadas.

Segundo Paulo Lira, administrador do Parque, 150 dessas grades (equivalente a 427 metros) foram arrancadas apenas nos últimos quatro meses. A explicação para o repentino aumento tem relação com a regulamentação do parque: desde que ela foi oficializada, em 4 de junho, o equipamento tem tido destaque e recebido mais atenção do que antes, explica Paulo.

Nos meses anteriores, era percebido que os furtos eram pontuais e feitos em menor quantidade. Além disso, em muitos casos, as grades eram arrancadas em partes específicas por assaltantes com intenção de criar uma rota de fuga para dentro do parque. Essas situações se diferem do que é observado hoje em dia, com as grades sendo retiradas em grandes blocos, possivelmente para serem revendidas em sucatas e ferros-velhos.

A situação tem sido atenuada no último mês, segundo o administrador devido à cobertura da imprensa sobre essas ações criminosas, o que pode tê-los deixado relutantes a continuar furtando os gradis de proteção. No entanto, o problema ainda persiste. A suspeita é de que as retiradas sejam feitas durante a madrugada, quando há menos movimento, uma vez que as grades ficam expostas a vias de grande circulação durante o dia.

Reforço
O Parque do Cocó contava com grades guardadas para repor eventuais furtos, mas, com o aumento dessas ações criminosas, o estoque já foi esgotado. O Governo do Estado já contratou uma empresa para colocar novas grades, que têm reforço nas braçadeiras e nos arames, para dificultar a retirada. A instalação já começou a ser feita na Avenida Raul Barbosa.

Segundo a tenente Luziane Freire, do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), foi encomendado, ainda, um reforço de em torno de 60 novos policiais para o BPMA, que deverão atuar especificamente no monitoramento relacionado a esses crimes. Os oficiais devem começar a operar em novembro, quando haverá reforço também no número de bicicletas e motocicletas.

Ajuda
Ainda não foram feitos flagrantes dos furtos de grades, mas a Tenente Luziane Freire comenta que isso já aconteceu recentemente, em casos de furtos de lâmpadas e fios da Enel no território do parque. A perspectiva é de que, com a intensificação do monitoramento, essas ocorrências também diminuam. O BPMA tem feito investigações para identificar os responsáveis, trabalho que também está sendo desenvolvido pela Polícia Civil.

Ela lembra que é importante a contribuição da população para identificar e punir os criminosos. As denúncias podem ser feitas pelo número 190 ou diretamente pela sede do BPMA, no número 3101-3545. Segundo a Tenente Luziane, a identificação do material roubado pode ser facilmente feita pela população, facilitando as denúncias: “Todas as grades são bem típicas, bem características do Cocó, são verdes e têm um formato diferente” (O Estado)