CINTURÃO DIGITAL

2ª fase do Cinturão Digital começa instalações até fevereiro

A previsão é que municípios como Limoeiro do Norte, Camocim, Sobral, Cascavel, Aracati e Jericoacoara sejam beneficiados. Criação de pequenos provedores de internet estão entre as vantagens

Arte - O Povo
2ª fase do Cinturão Digital começa instalações até fevereiro

A nova fase do Cinturão Digital do Ceará (CDC) deve começará com a instalação de torres de telecomunicações em meados da primeira quinzena de fevereiro deste ano e vai beneficiar municípios como Limoeiro do Norte, Camocim e Sobral.

O resultado do pregão eletrônico nº 20170008 mostra registro de preços dos mastros, que serão a base para as futuras aquisições. A licitação fixa o preço, mas ainda não garante a execução do serviço, uma vez que depende do orçamento do Governo.

As empresas vencedoras da pesquisa de preço são a AdaxTelecom, com 30 unidades no valor de R$ 71 mil cada, e 40 torres a R$ 128 mil cada; a cearense Braeng Soluções, com 445 torres de R$ 158,25 mil a unidade; a Lumicom Comercial com R$ 14,78 mil e 22 unidades; Flexipar Indústria R$ 15, mil e 37 mastros.

Segundo o professor Edson Almeida, diretor de Extensão do Instituto Federal do Ceará (IFCE), a nova fase de implantação é denominada “última milha” do CDC. São em torno de 20 km onde devem ser instaladas antenas de rádio no padrão Wimax (rede sem fio).

Para a prestação de serviços públicos, Edson observa o benefício da internet banda larga nos municípios. “Vai facilitar que a ponta da cidade do Interior possa transmitir dados mais rápidos, melhorando os serviços, a exemplo dos fóruns e delegacias”.

Entre as vantagens econômicas, ele aponta para um cenário que pode impulsionar pequenas empresas provedoras de internet no Interior, estimulando também a geração de empregos e qualificação de mão de obra em tecnologia.

Porém, Edson alerta que os preços a serem praticados precisam ser competitivos para viabilizar o serviço de internet aos cidadãos. “Acho importante o Governo prover serviço para ele próprio, para que, por exemplo, as escolas, tenham internet de mais velocidade, quando já existe a estrutura do próprio Estado”. Licitação

Conforme a Braeng Soluções e Tecnologias em Estruturas, localizada no Conjunto Industrial, em Fortaleza, a empresa será responsável pela instalação de 135 torres metálicas de 60m. Cada equipamento está orçado em R$ 158,259 mil. A previsão é que as torres comecem a ser instaladas na primeira quinzena de fevereiro, concluindo até o fim do ano, segundo Ligneul Cesar, dono da Braeng.

Ele informa que entre os municípios a serem beneficiados, estão previstos Cascavel, Sobral, Aracati, Limoeiro do Norte, Camocim e Jericoacoara. Na Região Metropolitana de Fortaleza, as torres servirão de apoio à Secretaria de Segurança Pública Defesa Social (SSPDS), no sistema de comunicação Tetrapol. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)


Saiba mais


O Cinturão Digital do Ceará (CDC) é voltado para infraestrutura de comunicação de dados, coordenado pela Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice), vinculada à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag).

Hoje conta com 3.500 km de fibra óptica instalada e 56 estações rádio base de comunicação de dados, levando internet de alta velocidade para mais de 100 municípios. Aproximadamente 1,2 milhão de pessoas com acesso à internet no Interior e mais de 80% da população urbana do Ceará têm benefícios. Cerca de 2 mil pontos de acesso conectados no Ceará, incluindo Governo do Estado e municípios.

De acordo com o Governo do Estado, em nota, até 2007 foram investidos R milhões por ano em comunicação de dados e atualmente o valor é de R milhões, o que representa uma economia média de R milhões/ano.

“O Ceará tornou-se referência no Brasil, realizando convênios com outros estados e com o Governo Federal para conexão ao CDC”, informa em nota.