CAUCAIA

Prefeitura de Caucaia compra 2 milhões de fraldas e afirma que quantidade não supre a demanda

Reprodução/Google Maps
A Escola Moacir Pinheiro de Souza é uma das beneficiadas com as fraldas /Oposição denuncia inutilidade de parte das fraldas. Compra soma R$ 1,1 milhão

A licitação aberta para compra de suprimentos à educação infantil incluiu, em Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza), pelo menos 2 milhões de fraldas para uso em 2018. A compra, feita com recursos do programa federal Brasil Carinhoso, ainda não atende a demanda anual, segundo a Prefeitura.

A quantidade de fraldas usada por aluno varia entre séries e idades. Recursos do Brasil Carinhoso, segundo o Ministério da Educação (MEC), devem ser aplicados na educação setorial de crianças de até 4 anos, ou seja, até o Infantil III. Entre o berçário e o Infantil III, Caucaia tem 7.017 alunos. Dividindo o montante, cada criança usaria 285 fraldas nos 200 dias letivos.

O pregão do processo licitatório foi realizado no fim de setembro e vencido pelas empresas Papel Riscado Importações Ltda e Francisco Gutemberg Silva Gomes ME. Só pelas fraldas, elas receberam R$ 1,1 milhão, vindos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Escova dental, pente, sabonete, creme para assaduras, creme dental, shampoo, colônia e toalha são os demais itens da licitação.

A vereadora Dona Célia (PCdoB) denuncia excessos nas quantidades e desperdício de pelo menos R$ 800 mil em fraldas. Balanço feito pelo gabinete da parlamentar aponta que as 600 mil fraldas de tamanho M sequer vestem as crianças de 1 ano e 8 meses do berçário.

“É um número escandaloso. As escolas estão lotadas de fraldas sem utilidade. É desperdício do dinheiro público”, denunciou a vereadora. A Prefeitura de Caucaia, via assessoria de imprensa, ponderou, porém, que ainda faltariam 400 mil fraldas para suprir a demanda. “Crianças de até um ano chegam a usar quatro fraldas por dia, conforme levantamentos encaminhados à Secretaria Municipal de Educação pelas escolas”, completou a nota.

Ofício foi encaminhado ao Ministério Público do Estado do Ceará, mas a promotoria não confirmou recebimento na noite desta terça-feira, 13. Auditoria foi solicitada pela Câmara. A proposta é reverter parte do recurso para compra de material escolar e brinquedos. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)