ALERTA

Saiba como evitar choques elétricos e outros riscos ao utilizar o celular

Casos como o de uma adolescente do Piauí, que morreu eletrocutada ao utilizar o telefone ligado à tomada, se mostram cada vez mais noticiados na mídia. Veja os cuidados que devem ser tomados para evitar acidentes

AFP
Saiba como evitar choques elétricos e outros riscos ao utilizar o celular

Baterias que explodem e pessoas que morrem eletrocutadas ao utilizar o celular. Casos como esses circulam na internet e se mostram cada vez mais noticiados pela mídia. No último domingo, 18, uma adolescente morreu no Piauí após a um choque elétrico enquanto utilizava o aparelho conectado à tomada. Ainda em janeiro deste ano, uma mulher morreu em Pernambuco, supostamente pelo mesmo motivo. O uso do telefone em si não é perigoso, segundo especialistas entrevistados pelo O POVO Online. Algumas situações, no entanto, podem aumentar os riscos de acidentes.

De acordo com o diretor executivo da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), Edson Martinho, falhas no equipamento e relâmpagos em épocas de chuva, como a que o Ceará se encontra, podem potencializar os riscos de choque elétrico quando se utiliza o aparelho ligado à tomada. Ele ressalta que a situação “não é tão comum”, mas que o cuidado é importante. Equipamentos piratas, mais baratos devido à retirada de dispositivos de segurança, são mais perigosos nessas situações, não sendo indicados.

“A tensão do celular é baixíssima”, afirma o professor do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Ceará (UFC) Fernando Antunes. Ele explica que o perigo não está no uso do aparelho em si, mas no contato com qualquer equipamento ligado à energia elétrica, principalmente quando se está descalço e/ou com o corpo molhado. “O corpo humano é uma resistência elétrica. (Com o contato com eletricidade), é possível descontrolar a batida do coração”, explica.

Fernando justifica que os casos de explosão de bateria de celular se dão devido à substância comumente utilizada nessa peça - o Lítio - pegar fogo caso submetida a um calor intenso. O aquecimento excessiva do aparelho tem diversas causas: carga acima do limite, falhas no equipamento e mesmo a má qualidade dos componentes da bateria. Ele indica que o usuário deve desligar o telefone caso perceba que ele está com uma temperatura acima do normal. “A grande questão é a temperatura”.

Por medidas de segurança, Edson Martinho recomenda evitar o uso do celular em ambientes úmidos, já que a umidade pode até mesmo danificar o aparelho. “Nunca utilizar ele carregando em locais molhados”, ele também aconselha. Além disso, o especialista fala que o indicado pela Abracopel é fazer a revisão da instalação elétrica da casa com um profissional qualificado a cada cinco anos, a fim de evitar falhas. (AFP)