ECONOMIA

Carnaval supera o ano passado em crescimento nos setores

Giro de dinheiro apenas na economia da Capital deve ultrapassar os R$ 380 milhões

Tatiana Fortes/ O POVO
Parte dos turistas veio do Maranhão, Pará, Paraíba e Rio Grande do Norte

O Carnaval 2018 vai deixar saudades não apenas para foliões. Os números ainda não estão fechados, mas setores da economia já comemoram o bom desempenho no Ceará. Apenas a hotelaria chega nesta Quarta-feira de Cinzas com taxa de ocupação em 93%.

Boa parte destas reservas se concretizou nas últimas semanas, mas já supera a marca do ano passado (81%) e a própria expectativa inicial para este ano, que era ficar em torno de 85%, segundo Eliseu Barros, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE).

“Superou bem. Graças a Deus os recentes episódios de violência (referindo-se à chacina de Cajazeiras e na cadeia de Itapajé) não respingaram no movimento do turismo. A alegria prevaleceu”, afirma. Ele diz que muitos destes turistas vieram de estados próximos como o Maranhão, Pará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Este movimento, aliado aos 32 voos extras registrados pela Agência Nacional de Aviação (Anac) e o que se viu nos polos carnavalescos na Capital devem fazer com que o impacto financeiro da festa na economia supere as previsões iniciais de R$ 380 milhões da Prefeitura de Fortaleza, afirma o secretário-executivo de turismo, Erick Vasconcelos.

"Fortaleza se consolida como destino no Carnaval e o resultado está na ocupação dos hotéis, nos bares, na economia",

Erick Vasconcelos  - Secretário-executivo de turismo de Fortaleza


Na Praia do Futuro, quando o sol apareceu – a segunda-feira foi só de chuva –, a movimentação nas barracas foi intensa. “Ainda não dá para dizer o quanto cresceu porque os números ainda não estão fechados, mas, com certeza, supera 2017. Sábado, domingo e terça tivemos um movimento que deu até mesmo para compensar a segunda de chuva”, diz Ivan Assunção, diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e da Associação dos Empresários da Praia do Futuro.

Nos supermercados, nada de longas filas, mas o fluxo de clientes permaneceu constante. Engel Rocha, diretor da Associação Cearense de Supermercados (Acesu), diz que as vendas de bebidas e carnes ajudam a aquecer as vendas.

Mesmo com lojas fechadas, cinemas, praça de alimentação dos shoppings também foram procurados. “Tivemos bailinho de Carnaval durante estes dias, o que contribuiu. Acredito que vamos ter um aumento de fluxo de 10% ”, avalia Felipe Bahiana, gerente de marketing do Shopping Parangaba.

No setor de combustíveis, foram registradas filas em postos localizados ao longo da BR-116 e na CE-025, reflexo do movimento de saída da Cidade. Mas, de modo geral, não houve grande incremento de demanda, segundo Marcos Novais, presidente do Sindicato do Comércio varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos-CE).

FOLIA AGRADA TURISTAS

Dentre os turistas que desembarcaram na Cidade neste Carnaval estão os recifenses, Rafael Romaguera, 34, e a jornalista Amália Uchôa, 29. Ontem, a pedida do dia foi a programação no Mercado dos Pinhões.

“Quisemos fugir do Carnaval, mas não resistimos”, brinca Amália. Também ressalta que está adorando tudo na Cidade. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)