CAPITAL

Revitalização de esquinas reduz em 57% acidentes com vítimas

Regionais 2 e 4 são as mais beneficiadas pelo projeto. Intervenção em outras 100 esquinas é prevista para 2018

AFP - foto ilustrativa
Revitalização de esquinas reduz em 57% acidentes com vítimas

A fiscalização intensificada e tachões e marcas de canalização implantados nas esquinas da Capital, desde o início de 2017, têm reduzido os números de acidentes com vítimas (feridos e mortos). São 57% menos ocorrências desse tipo nos locais contemplados pelo projeto Esquina Segura — principalmente bairros das regionais 2 e 4. O levantamento é da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), que comparou registros em 55 cruzamentos.

Neles, a quantidade total de acidentes diminuiu em 30%. O período comparado foi de seis a nove meses após a implantação do projeto e o mesmo período de 2016. A maior variação percebida foi no cruzamento das ruas Amadeu Furtado e Gustavo Sampaio, na Parquelândia (Regional 3). Comparando o número de acidentes com vítima entre abril e dezembro de 2016 e de 2017, no local, foram nove ocorrências a menos.

Demarcando a área proibida para estacionamento e revitalizando as sinalizações horizontal e vertical, a visibilidade para cruzar as vias perpendiculares é priorizada, evitando acidentes.

Os resultados são comemorados por Arcelino Lima, superintendente da AMC, que prevê intervenções em mais 100 esquinas em 2018. “Tivemos aumento de fiscalização e, consequentemente, de aplicação da medida administrativa, que é a apreensão de veículos”. São rebocados, em média, 280 veículos por mês.

Há 188 intervenções concluídas, sendo 89 na Regional 2 (Meireles, Varjota, Dionísio Torres, Cocó, Aldeota) e 43 na Regional 4 (Montese, Damas, Fátima, Jardim América). São ainda 25 no Centro e 21 na Regional 3 (João XXIII, Jóquei Clube e Parquelândia). O projeto tem volume menor nas regiões periféricas , conforme gráfico acima.

“Bairros mais adensados têm maior problema com estacionamento, maior fluxo de veículos. Há insistência em estacionar perto da esquina, o que causa deficiência de visibilidade aos demais condutores”, justifica Arcelino. Segundo o artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro, estacionar a uma distância menor que cinco metros da esquina configura infração média, com multa de R$ 130,16 e quatro pontos na carteira. Se a área tiver listras no asfalto (marcas de canalização), a infração é grave, com multa de R$ 195,23 e cinco pontos .

A população pode comunicar cruzamentos problemáticos através do número 190, do aplicativo AMC Móvel e das centrais de atendimento da AMC na Cidade. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)