TECNOLOGIA

Mais de 440 mil brasileiros foram afetados por vazamentos do Facebook

JUSTIN SULLIVAN/AFP
Protesto contra o Facebook foi feito ontem em frente à sede da empresa, na Califórnia

O Facebook divulgou ontem que dados de 443.117 usuários brasileiros “podem ter sido compartilhados indevidamente” com a consultoria Cambridge Analytica, que teria os utilizado para influenciar a opinião pública em eventos como a eleição presidencial dos Estados Unidos em 2016. O Brasil ficou entre os dez principais territórios que foram afetados pelo vazamento de dados — os EUA lideram com 70 milhões de usuários.

Ao todo, dados de pelo menos 87 milhões de usuários da rede social podem ter sido obtidos pela consultoria, a partir de um quiz feito pelo pesquisador Aleksandr Kogan. A brincadeira, chamada This is your digital life (Esta é sua vida digital), exigia que as pessoas conectassem sua conta do Facebook para ser acessada. Isso permitiu que o quiz de Kogan obtivesse informações pessoais dos usuários da rede social e dos amigos deles.

A informação surgiu em uma atualização do post feito por Mike Schroepfer, diretor de tecnologia do Facebook, sobre as mudanças promovidas pela rede social em seus termos de uso e política de privacidade. É a primeira vez que o Facebook revela quais foram os países mais afetados pelo uso indevido de aplicativos para a obtenção de dados pessoais pela consultoria.

Territórios como Filipinas, Indonésia e Reino Unido, por sua vez tiveram informações de mais de 1 milhão de contas varridas. Segundo Schroepfer, os usuários que foram afetados serão avisados a partir de segunda-feira, 9. (Agência Estado)


CAMBRIDGE ANALYTICA

A empresa britânica coleta e relaciona dados para ações de marketing digital feitas por companhias e políticos. Neste caso, ela usou o método para desenvolver ações para influenciar o cenário político americano e favorecer Trump