RODA-GIGANTE

Roda-gigante é orçada em R$ 120 milhões; ingressos em julho de 2019

A AmuseBR, empresa que está elaborando o projeto de viabilidade do equipamento, também quer operar a roda-gigante

Mateus Dantas/O POVO
A Roda-Gigante será construída no espigão da rua João Cordeiro

A roda-gigante que será construída na Praia de Iracema, em Fortaleza, está orçada em cerca de R$ 120 milhões. Caso todo o processo burocrático para a implantação do projeto ocorra dentro do prazo previsto, os ingressos para a futura atração turística da Capital cearense vão começar a ser vendidos em julho de 2019. A expectativa é que o equipamento, a ser localizado no espigão da rua João Cordeiro, seja inaugurado no Réveillon de 2019/2020.

A informação foi divulgada ao O POVO por Charlles Nogueira, CEO da AmuseBR, empresa que está elaborando o estudo de viabilidade econômico-financeira da roda-gigante. Segundo ele, além de fazer o projeto, a companhia também quer ser responsável pela construção e operação do empreendimento. “Entramos no PMI (Procedimento de manifestação de Interesse) da Prefeitura de Fortaleza para isso. Estamos elaborando este projeto da forma mais coerente possível”, diz.

No radar das empresas que podem firmar parceria com a AmuseBR para construir e desenvolver a roda-gigante, estão as estrangeiras HTB e a Aecon. “Vamos conseguir os melhores investidores para fazer isso. É um negócio que demanda investimento operacional e experiência internacional de alto nível”, afirma o executivo.

Quanto ao fato de a roda-gigante ser construída em local onde tem muita maresia, o que poderia causar danos à estrutura do equipamento, como ferrugem, Charlles observa que a proximidade à orla não representa nenhuma risco. “Hoje em dia se constroem equipamentos, como parques eólicos, dentro do mar em vários países. Há engenharia, química e ciência suficientes para isso. Tudo isso já está no projeto”, acrescenta o CEO da AmuseBR.

Em relação ao valor do ingresso, Charlles informa que o preço ainda será sugerido no projeto, mas garante que o valor precisa e será acessível, de modo que todos possam usufruir da atração. “O valor precisa atender não só ao turista, mas também à população local. A roda-gigante vai funcionar o dia todo, nossa expectativa de público é grande”, destaca.

Questionado sobre o valor previsto para a obra, que será financiada com recursos da iniciativa privada, Charlles garante que o custo para construir a roda-gigante é relativamente baixo. Isso porque a maioria das peças necessárias à instalação e operação do empreendimento será adquirida no Brasil. “São poucos os elementos que vão vir de fora do País, apenas algumas coisas relativas à parte mecânica e outras para controle virtual e operacional”, explica.

Estimado em R$ 2,98 milhões, o estudo que a AmuseBR fará para a roda-gigante será finalizado em cerca de dois meses. O equipamento será semelhante à London Eye (Olho de Londres). O nome da empresa foi noticiado pelo O POVO, com exclusividade, na edição do último dia 26. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)


SOBRE A EMPRESA

A AmuseBR está sediada na cidade de São Paulo, no bairro Jardim Paulistano e conta com um time de dez profissionais que atuam em áreas como marketing e marcas, produção industrial, arquitetura e urbanismo, design e engenharia civil