FACEBOOK

87 milhões de usuários foram afetados por vazamento, diz Facebook

Divulgação
87 milhões de usuários foram afetados por vazamento, diz Facebook

O escândalo sobre a difusão de informação pessoal de usuários do Facebook deu uma nova guinada ontem, quando a rede anunciou que os dados de 87 milhões de usuários — e não de 50 milhões, como havia sido dito — foram usados de maneira indevida pela empresa Cambridge Analytica. Conforme comunicado do diretor técnico do Facebook, Mike Schroepfer, a maioria das pessoas afetadas é dos Estados Unidos.

Horas depois da divulgação, a Cambridge Analytica rebateu. Disse no Twitter que “licenciou” o uso de dados de 30 milhões de usuários coletados pela companhia GSR, “e não 87 milhões”, e voltou a afirmar que não utilizou essas informações na eleição presidencial dos Estados Unidos em 2016. A sigla GSR se refere à empresa de pesquisa Global Science Research, do professor da Universidade de Cambridge Aleksandr Kogan. Ele é apontado como o responsável por coletar os dados de milhões de usuários da rede por meio de um aplicativo e os repassar à consultoria britânica.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, deve depor ao Congresso dos Estados Unidos na próxima quarta-feira, 11. Ele organiza há semanas uma resposta política e midiática sobre o caso. Quer convencer os usuários e os poderes públicos de que o site tem consciência de sua responsabilidade e atua para protegê-los de toda exploração maliciosa de dados, assim como de qualquer operação de propaganda, ou desinformação política. (das agências)

ENTREVISTA

O que diz zuckerberg. Durante uma entrevista por telefone com jornalistas, ontem, Mark Zuckerberg foi questionado se continuava sendo a pessoa certa para comandar o Facebook. Respondeu, “sim”, apesar dos “erros” que voltou a reconhecer sobre a proteção de dados pessoais e a luta contra manipulações políticas.