LIMPEZA URBANA

Programa que dá dinheiro a catadores de lixo será expandido

Ações de inclusão para carroceiros se tornam carro-chefe da gestão de resíduos sólidos em Fortaleza até 2020

Mateus Dantas/O POVO
Bairro de Fátima é um dos que têm ecoponto em funcionamento

O lixo como oportunidade de mudar de vida será o carro-chefe dos próximos dois anos da política de gestão de resíduos sólidos de Fortaleza. Em coletiva ontem, no Paço Municipal, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) anunciou novas medidas e apresentou resultados das ações realizadas até o momento.

O programa E-Carroceiro, que recompensa em dinheiro e crédito em comércios catadores que retiram lixo das ruas e levam para o descarte de forma correta, vai ser expandido e terá carroceiros cadastrados em 100% dos ecopontos até dezembro deste ano.

O projeto surgiu há pouco mais de um ano, inicialmente chamado Carroceiro Legal, e consiste em cadastrar catadores para fazerem o descarte correto de lixo e em dar mais qualidade e valorização ao trabalho do catador. "Há pouco tempo os carroceiros eram considerados adversários da Prefeitura por jogarem muito lixo e entulho na rua, mas agora com o E-Carroceiro viraram nosso aliados", ponderou João Pupo, titular da Secretaria Municipal da Conservação e Serviços Públicos.

José Erenildo Lopes, 50, foi um dos primeiros carroceiros a ingressarem no programa. "Foi um projeto muito bom pra gente. Mudou muito a minha vida financeira e fez a gente se dedicar mais ao trabalho. Antes eu despejava lixo na rua, nas praias e agora a gente tem esse incentivo a mais. Numa média eu tiro R$ 1 mil por mês agora", comenta o catador.

Para participar do E-Carroceiro é preciso ir a um ecoponto com documento de identificação. Os trabalhadores levam os materiais até os locais, fazem a pesagem e, em uma parceria com o Banco Palmas, recebem o pagamento em compras no comércio local ou em dinheiro.

"O lixo agora produz inclusão social e melhoria de vida para os carroceiros", afirmou Roberto Cláudio. Ele afirmou que a coleta não é a solução para o problema do lixo na Capital. "Precisamos sair do paradigma de que lixo só se resolve com coleta. A gente pode encontrar caminhos de a cidade ficar mais limpa, gerar cidadania e responsabilidade para a população sem a coleta de lixo. Um exemplo disso são os ecopontos, onde é possível descartar lixo reciclável e trocar por desconto na conta de energia e crédito no Bilhete Único", afirmou.

Para o gestor, o problema do lixo apenas será resolvido com a mudança de hábitos da população. "A gente pensa que ter caminhão de lixo passando seis vezes por dia em certo local, como acontece na avenida Senador Fernandes Távora, é uma coisa boa, mas não é. Onde mais se pega lixo é justamente onde mais se encontram os lixões".


ECOPONTOS

Fortaleza tem 48 ecopontos. Na semana que vem será implantado o 49ª, na avenida Jovita Feitosa. Até 2020, devem ser 120. No local é possível descartar entulho, restos de poda, móveis e estofados, além de outros recicláveis (O Povo - é parceiro de oxereta.com)