NEGÓCIOS

Acordo com cidades italianas abre oportunidades no Ceará

No próximo semestre já está confirmada a vinda de uma missão de investidores estrangeiros ao Estado. Dentre os setores que podem ser favorecidos estão metalmecânico e energia

Cearáportos
Acordo com cidades italianas abre oportunidades no Ceará

A Itália é o país que mais tem investidores estrangeiros no Ceará. São 921 empresas em 41 municípios do Estado, que movimentam quase US$ 250 milhões ao ano, de acordo com dados da plataforma Ceará Global. Estes números podem dobrar em 2019 a partir dos recentes acordos firmados com a região de Lombardia, que abrange cidades como Milão e Brescia.

Ontem, durante apresentação da nova gestão da Câmara Ítalo Brasileira, na sede da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Paulo Magnani presidente da Câmara de Comércio Ítalo Brasileira no Nordeste, disse que já está sendo organizado para o próximo semestre uma missão de Lombardia ao Ceará para identificar negócios e conhecer melhor o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp S/A), em São Gonçalo do Amarante.

Os setores que mais despertam interesse dos investidores estrangeiros estão projetos na área de energias renováveis, setor metalmecânico, turismo, gastronomia e alimentação.

Dentre as companhias que assinaram protocolo de intenção para se instalar no Estado estão uma de monitoramento cardíaco e uma construtora italiana que opera em São Paulo.

Hoje, boa parte dos investimentos italianos em terras cearenses estão concentrados no comércio (55%), setor imobiliário (33%) e turismo (6%).

O empresário Carlo Bondioli, dono da distribuidora de vinhos italianos Senza Frontiere, diz que o aumento do número de voos internacionais tem possibilitado a expansão dos negócios. Do ponto de vista de exportações, há muitas oportunidades, conforme a presidente do Conselho de Relações Internacionais da Fiec, Rosiane Medeiros. Em 2017, o Ceará exportou mais de US$ 100 milhões para a Itália. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)