FORTALEZA

Número de casos de chikungunya cai mais de 99% em Fortaleza

Foram 527 casos no ano passado, resultando em um óbito. Em 2017, foram 61.710 casos, com 144 mortes devido à doença

O número de casos de chikungunya em 2018 em Fortaleza teve queda de mais de 99% em relação ao registrado no ano anterior. Em 2017, 61.710 pessoas tiveram chikungunya, 144 delas morrendo devido à doença. No ano passado, foram 527 casos, com um óbito. Os dados foram divulgados na manhã desta quarta-feira, 2, pela Célula de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) na reunião do Comitê Intersetorial de Enfrentamento às Arboviroses.

Também houve redução no número de casos de dengue de 2017 para 2018. No ano passado foram 1.223 casos da doença, havendo 5 óbitos. Em 2017, o número chegou a 13.558, com 19 mortes. As ações de prevenção de arboviroses em 2018 resultaram em 36 mil focos do mosquito Aedes Aegypti eliminados.

O prefeito Roberto Cláudio, presente na reunião do Comitê, comemorou a redução no número de casos e falou sobre a importância do combate constante às arboviroses. “A ideia é que as ações de prevenção e combate as arboviroses não aconteça apenas durante a quadra chuvosa, que ela seja uma agenda permanente da saúde pública de Fortaleza”. Segundo ele, os últimos indicadores de infestação do mosquito Aedes Aegypti foram melhores que o ano passado, havendo a expectativa que o número de casos diminua ainda mais em 2019.

A Prefeitura começará ações para prevenção, diagnóstico e tratamento das arboviroses de forma focada antes do da quadra chuvosa, que se inicia em fevereiro. Haverá 23 postos de saúde como referência para diagnóstico, a fim de reduzir o risco de complicações, e notificação de casos em tempo real para que seja possível evitar a dispersão da doença com combate dirigido. Além da saúde, áreas como educação e setores privados também participarão da campanha.   (O Povo - é  parceiro de oxereta.com)