ARTICULAÇÃO

Danilo Forte vai assumir cargo de articulação para o Nordeste no governo Bolsonaro

Divulgação
Danilo Forte (1º E), Onyz Lorenzoni, Roberto Pessoa e Raimundo Gomes de Matos, durante encontro em Brasília

Deputado federal não reeleito, Danilo Forte (PSDB) vai assumir uma coordenadoria de articulação política ligada ao Nordeste na Casa Civil do futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL).

A função, para a qual o parlamentar foi convidado pelo futuro ministro da pasta, Onyz Lorenzoni (DEM), é uma das sete criadas pelo democrata para distribuir tarefas de interlocução com os parlamentares, um dos pontos mais criticados por aliados de Bolsonaro durante a transição.

Além da coordenaria do Nordeste, a Casa Civil vai contemplar postos também para Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte, segundo afirmou o deputado federal eleito Roberto Pessoa (PSDB), que participou da reunião da bancada do PSDB com o novo ministro.

Recém-eleito, Pessoa também disse que Lorenzoni designou deputados que não se elegeram ou não disputaram eleições para coordenarias de articulação com a Câmara dos Deputados e o Senado.

A função de coordenaria para o Nordeste, no entanto, não corresponde à de secretário do Nordeste, órgão que ainda não foi criado.

Presidente estadual do PSL e deputado federal eleito, Heitor Freire ponderou que as indicações de Mayra Pinheiro e General Theophilo para postos no governo foram positivas.

“Foram indicações diretas, técnicas”, respondeu o dirigente. “Mas o Danilo tem amizade pessoal com Onyx.”

O pesselista afirma que a função de Forte será outra e não a de titular da Secretaria do Nordeste, uma das reivindicações de grupo de parlamentares do PSL eleitos na região.

“Acho que não procede (a informação). A secretaria nem criada foi ainda. É uma ideia minha e do Julian Lemos. O que pode ter acontecido é que ele foi chamado pra outra função. Acho que exagerou”, falou.

Por nota, Danilo Forte referiu-se ao posto que irá ocupar no futuro governo como Secretaria Especial do Nordeste.

“Fico honrado com o convite e principalmente por poder continuar trabalhando na elaboração de elementos capazes de diminuir o desequilíbrio regional que o País persiste em conviver, como fizemos ao defender o Novo Pacto Federativo na Câmara dos Deputados”, declarou o parlamentar.

A nota diz ainda que, ao assumir o cargo, “o tucano ficará responsável por fazer a integração política entre o Governo Federal e o Nordeste brasileiro” e que o “órgão deverá apresentar demandas, trabalhando ações de combate à seca e atração de investimentos para o desenvolvimento da Região”.

Nesta quarta-feira, a bancada do PSDB tem reunião com o presidente eleito Jair Bolsonaro, a partir das 15h30, em Brasília. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)


O Blog Política entrou em contato com Danilo Forte, mas ele não atendeu as ligações.