FORTALEZA

Arrecadação com multas de trânsito mais que triplica em nove anos

Até outubro de 2018, média mensal de receita da gestão Roberto Cláudio com multas ficou em R$ 12 milhões - a maior já registrada. Levantamento não permite precisar o quanto a mudança é fruto de políticas de fiscalização ou do próprio número aumento de infrações cometidas por motoristas

Rodrigo Carvalho/O POVO
Recurso de multas foi revertido em investimentos na malha viária de Fortaleza

Arrecadação de multas de trânsito pela Prefeitura de Fortaleza mais que triplicou nos últimos nove anos, passando de R$ 38,5 milhões em 2010 para R$ 120,2 milhões só até outubro deste ano. Nos dez primeiros meses de 2018, média mensal de receita da gestão Roberto Cláudio (PDT) com multas ficou em R$ 12 milhões – a maior já registrada.

O incremento ocorreu sobretudo a partir de 2013, com crescimento de quase 250% durante os seis anos, período que corresponde à gestão do prefeito Roberto Cláudio (PDT). Com dois meses até o fim de 2018, a Prefeitura já arrecadou quase todo o valor acumulado de multas do ano passado. A informação é de levantamento do O POVO Dados no Portal da Transparência.

Antes da mudança de governo, a Prefeitura mantinha margem relativamente estável de arrecadação, com média de cerca de R$ 36 milhões por ano na última gestão Luizianne Lins (PT). Caso mantenha a média dos outros meses deste ano, o governo Roberto Cláudio pode terminar o ano arrecadando mais de quatro vezes mais do que no 1º ano de gestão, em 2013.

Ainda de acordo com os dados públicos da Prefeitura, o mês que acumula a maior média de multas de trânsito é junho, com mais de R$ 18,2 milhões arrecadados neste ano. A incidência de penalidades para condutores também é maior nos últimos meses do ano.

Em resposta, a Prefeitura de Fortaleza destaca que políticas de mobilidade e de segurança viária adotadas na gestão levaram a cidade a registrar quedas recordes em taxas de letalidade de trânsito. Além disso, o governo destaca que recursos são todos revertidos em novos investimentos na malha viária da Capital.

Medida polêmica

O levantamento não permite precisar o quanto a mudança é fruto de políticas de fiscalização ou do próprio número aumento de infrações cometidas por motoristas. Desde o início do governo, no entanto, Roberto Cláudio tem focado investimentos tanto na ampliação e melhoria da malha viária de Fortaleza – com faixas exclusivas de ônibus – quanto na segurança no trânsito.

As medidas, no entanto, geram reações variadas entre a população. Em 2016, ano em que Roberto Cláudio disputou a reeleição, pesquisa O POVO/Datafolha apontou a mobilidade urbana como uma das áreas mais bem avaliadas da gestão. O crescimento expressivo da fiscalização de trânsito, no entanto, foi alvo de campanhas de adversários do prefeito na disputa, sobretudo por Heitor Férrer (SD).

Na época, Férrer propôs remover até 50% dos fotossensores de Fortaleza, com imagens dos aparelhos sendo amplamente exploradas durante a propaganda de rádio e TV do candidato. Em reposta, Roberto Cláudio classificou a medida como irresponsável e destacou o impacto da política na redução da taxa de letalidade do trânsito na Capital.

Mesmo com a campanha negativa, o prefeito manteve a boa avaliação na área da mobilidade e foi reeleito com 53,57% dos votos. Ironicamente, naquele ano a Prefeitura registrou o maior crescimento anual na arrecadação de multas dos últimos nove anos, passando de R$ 58 milhões em 2015 para R$ 88,5 milhões em 2016 (aumento de 52,62%). (O Povo - é parceiro de oxereta.com)