LUTO

Relembre a história de J. Macêdo, empresário pioneiro na indústria do trigo no Ceará

Empresário deve ser sepultado às 16h desta quinta-feira, no cemitério São João Batista

Divulgação
Relembre a história de J. Macêdo, empresário pioneiro na indústria do trigo no Ceará

A vida dedicada ao comércio e à indústria de trigo rendeu a José Dias de Macêdo renome nacional. O empresário idealizador do Grupo J. Macêdo morreu na madrugada desta quinta-feira, 6, aos 99 anos. Ele deixa um legado de pioneirismo no Ceará que se estendeu para todo o País. O primeiro moinho de trigo construído no Estado evoluiu para a criação de uma das marcas de farinha mais conhecidas pelos brasileiros, a Dona Benta.

Nascido em Camocim em 1919, no Litoral Oeste, Dias Macêdo começou a trabalhar com vendas aos 20 anos, quando conseguiu emprego como representante comercial. Ele trabalhava para empresas de diversos setores, com produtos indo da manteiga à madeira. O empresário ainda embarcou no ramo de montadoras de carro depois da Segunda Guerra Mundial e conseguiu trazer as marcas Jeep, Mercedes-Benz, Ford e Toyota para o Nordeste.

Os frutos da parceria com as marcas estadunidenses foram o início das importações de 80 mil sacas de trigo. Com isso, J. Macêdo juntou-se a dois irmãos para começar a construção do primeiro moinho de trigo em Fortaleza. Em 1952, o empresário abria a primeira indústria no ramo de processamento de farinhas. O negócio foi consolidado e ele expandiu as atividades para outros estados, como Alagoas e Bahia.

A farinha Dona Benta, produto mais conhecido do grupo J. Macêdo, foi a grande aposta do empresário no segmento. Ela foi primeira farinha do Brasil a ser vendida em sacos transparentes, foi pioneira também nas embalagens à vácuo e a primeira farinha a ser vendida fermentada. Depois do sucesso, o grupo entrou no mercado de massas e biscoitos. Marcas como Sol, Petybon, Brandini também se tornaram consolidadas. Regionalmente, outras quatro marcas de massas, três de biscoitos e duas de farinhas compõem as assinaturas da empresa.

Dias Macêdo foi agraciado com o Prêmio Tendência (Empresas Bloch), Troféu Sereia de Ouro (Grupo Edson Queiroz) e Medalha da Abolição (Governo do Ceará). Em 2017, ele foi escolhido como primeiro condecorado com a Medalha Ivens Dias Branco, pelo Governo do Estado.

O velório de José Dias Macêdo acontece às 12 horas desta quinta-feira, na Igreja Cristo Rei. Às 15 horas, uma missa de corpo presente deve ser realizada. O sepultamento ocorre às 16 horas no cemitério São João Batista, no Centro.

Autoridades e entidades se manifestaram por meio de nota sobre a morte do empresário. Confira as notas de pesar do prefeito Roberto Cláudio, do governador Camilo Santana e da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

Roberto Cláudio, prefeito:

“Recebi, com profundo pesar, a notícia da morte do empresário e ex-senador José Dias Macêdo, um dos mais notáveis industriais do Ceará e do Brasil. Fundador do Grupo J. Macedo, que está entre os maiores do País no setor alimentício, José Macêdo teve papel de significativa relevância para o desenvolvimento do nosso estado e serve de exemplo para futuras gerações. No ano passado, tive a honra de agracia-lo com a primeira Medalha Ivens Dias Branco, criada pelo Governo do Estado para homenagear aqueles que contribuíram decisivamente pelo desenvolvimento econômico do Ceará. O povo cearense enaltece sua história, agradece imensamente por tudo que fez e pelo legado que deixa para o nosso estado. Meus sentimentos à família, amigos e aos milhares de colaboradores que fazem parte dessa rica história”

Camilo Santana, governador:

"A história do Ceará registra, para orgulho de todos nós, seus conterrâneos, a atuação de um dos mais talentosos empresários do Brasil, com capacidade empreendedora que transcendeu ao seu tempo e à sua própria trajetória profissional. José Macêdo construiu um dos principais conglomerados empresariais do País, sempre alicerçado numa visão avançada de compromisso ético na geração da riqueza. Para além do espírito empresarial pulsante e irrequieto, sua história de vida revela-nos um homem que ajudou a formar, entre seus filhos e colaboradores, o consenso e a percepção de que o desenvolvimento econômico só se justifica se trouxer como ativo e derivativo principais o crescimento coletivo. É um capítulo de destaque na história do desenvolvimento empresarial do Ceará e do Brasil que servirá, permanentemente, de fonte de consulta e inspiração para as atuais e novas gerações. Nossa solidariedade a toda a família Macêdo."

Federação das Indústrias do Estado do Ceará:

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), através do presidente Beto Studart e de toda a sua diretoria, lamenta profundamente o falecimento do empresário e senador José Dias de Macêdo. Pai do ex-presidente da FIEC, Roberto Macêdo, José Macêdo é um simbolo para a indústria nacional, por todo o trabalho realizado ao longo de seus 99 anos de existência. Esse reconhecimento é atestado pelo grande número de homenagens recebidas por sua brilhante trajetória, como o Troféu Sereia de Ouro; e as Medalhas do Mérito Industrial, da Abolição e Ivens Dias Branco. Apesar deste momento de tristeza, o que fica é a certeza de que seu exemplo e ensinamentos serão valiosos para a história do Ceará.   (O Povo - é parceiro de oxereta.com)