SEMANA DO BLUES

Um palco para o blues

Com shows musicais, homenagens, debates e mostra de cinema, Centro Cultural Banco do Nordeste recebe dois dias de programação voltada para o blues

Divulgação
Roberto Lessa lançará o disco Lonewolf durante o evento

Aos sete anos, o músico, pesquisador e produtor cultural Carlinhos Perdigão viu nascer um interesse por tocar bateria. Logo depois, enveredou para o rock, até chegar ao blues, ritmo defendido por ele como "pai do rock". Por entre esses caminhos que se cruzaram, uma das bandas a entrar no radar de Perdigão foi Led Zeppelin, que apresentou seu primeiro show há mais de 50 anos, na Dinamarca, ainda quando era chamada de New Yardbirds.

O grupo britânico será homenageado na primeira edição da Semana do Blues, que ocupará o Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB) a partir de amanhã, 15, com programação inteiramente gratuita. Carlinhos, junto à Zeppelin-Blues, fará show com os sucessos da banda que durou - oficialmente - até 1980. Alice Brasil, Abraham Paiva, Augusto Milagro e David de Aragão completam o time responsável pelo tributo.

Quem também se apresenta na programação é o cantor Roberto Lessa, que aproveitará a ocasião para lançar o EP Lone Wolf, levando várias influências do blues. O show de lançamento será acompanhado por Marcelo Holanda (bateria) e Victor Fontenele (contrabaixo).

Com forte apelo visual, a programação trará também exibição do filme Cadillac Records, de 2008, que acompanha o nascimento do estilo musical homenageado, retratando a evolução da música negra dos Estados Unidos, até chegar em artistas do mainstream atual, como Beyoncé. "Além do filme, haverá sessão com exibição de clipes de vários artistas, fazendo um crossover entre esses nomes que estão no mainstream e na cena local", detalha Carlinhos, também responsável pela curadoria do evento.(O Povo - é parceiro deoxereta.com)


Programação

Amanhã, 15


12h - show de Marcelo Justa e Tatiana Freitas

15h - Sessão do filme Cadillac Records

14h - Exibição de clipes

17h - Debate com o tema: O Blues e os seus significados sociais/culturais


Sábado, 16


16h15 - Debate com o tema: Os percursos do Blues no Brasil, no Nordeste e no Ceará.

18h - Lançamento do disco Lonewolf, com Roberto Lessa e banda

19h15 - Show "Os 50 anos do Led Zeppelin", com a banda Zeppelin-Blues


Semana do Blues

Quando: amanhã e sábado, 15 e 16 de março

Onde: Centro Cultural Banco do Nordeste (rua Conde d'Eu,  560 - Centro)

Acesso gratuito


Ponto de vista

A Semana do Blues no CCBNB

Ceará e Fortaleza têm se mostrado, nas últimas décadas, espaços importantes para eventos culturais relacionados ao blues, os quais reúnem uma grande quantidade de pessoas. São festivais como o Canoa Blues e o de Guaramiranga.

Historicamente, a alma do blues carrega - em sua essência - a negritude da África. Assim, advinda do idioma musical nascido nesse continente, traz o grito das frustrações das comunidades negras em suas lutas constantes. E, em sua gênese, reside o aspecto de que os negros, escravizados, entoavam canções nas tarefas de colheita nos campos e nos currais do sul dos EUA.

Com o passar dos anos, o blues foi atraído para a cidade grande, em especial, Chicago. E, embora a simplicidade e o lamento sentimental permanecessem constantes, surge um novo elemento: a eletricidade. Assim, o que antes era executado em violões e batidas de pés, passava a ser interpretado com guitarra, baixo elétrico, piano e bateria. A partir daí novas gerações foram divulgadas, como Muddy Waters e Howlin' Wolf, chegando até mesmo ao rock, caso do Led Zeppelin, que bebeu na fonte blueseira.

Carlinhos Perdigão é arte-educador,  músico e curador da Semana do Blues