INTERNET

Marketing digital: como a internet vem impactando a comunicação das empresas

Idealizador do projeto ‘Cresça e Apareça’, publicitário defende que as marcas devem estar mais atentas a questões éticas e subjetivas do consumidor. Nessa seara de rápidas transformações, imagem e identidade tornaram-se conceitos distintos, defende o especialista

Reprodução
Publicitário Luiz Santos, fundador do projeto Cresça e Apareça, defende no marketing digital diferenciação dos conceitos "identidade" e "imagem".

A internet vem imprimindo uma série de mudanças à forma como as empresas se comunicam com os consumidores. Se antes as mensagens eram veiculadas “em mão única”, ou seja, em anúncios que interrompiam a programação, hoje, a situação é diferente. A tecnologia agora permite feedback imediato do público, gerando empoderamento ainda não conhecido. Postagens com denúncias podem pôr abaixo todo um planejamento de imagem, principalmente em tempos em que os indivíduos se veem acompanhados de câmeras e telefones com acesso à internet.

Como consequência desse cenário interconectado, e amparado em valores subjetivos, as organizações não podem mais desenvolver ações de comunicação dissociadas de sua cultura, sob o risco de serem “desmascaradas” pelas redes sociais, analisa o publicitário Luiz Santos. Fundador do projeto Cresça e Apareça, Santos defende a diferenciação dos conceitos “identidade” e “imagem”. “Uma coisa é a imagem que a empresa projeta, que gera a forma como é percebida pelo público. Outra coisa é a sua identidade, que o público conhece quando se aproxima, compra produtos ou serviços, ou quando a empresa se posiciona sobre assuntos de relevância pra ele. Se a imagem e a identidade não são iguais, a reação é de afastamento, rejeição, não recomendação e até boicote", aponta.

Por isso, é importante que as empresas trabalhem suas identidades “de dentro para fora”, ou seja, atuem primeiro na construção de uma cultura organizacional positiva, e só depois pensem em transmitir esses valores ao público externo. Um planejamento dissociado dessa premissa pode resultar em prejuízos financeiros e à imagem das marcas, argumenta Santos.

Identidade como diferencial

Outra questão envolvendo identidade de marca está em descobrir qual é a verdadeira vocação do negócio. Na hora de construir uma estratégia rentável, é imprescindível que a empresa descubra quais são os verdadeiros anseios do seu público. Pesquisas indicam, aponta Santos, que os consumidores estão dispostos mesmo a pagar mais caro por produtos que correspondam a suas inquietações, cada vez mais subjetivas. Como exemplo, o empresário cita o caso da Mercadapp, startup cearense que oferece a seus clientes a oportunidade de fazer compras por aplicativos, sem precisar deslocar-se até o ponto de venda.

Após passagem pelo Cresça e Apareça, a marca, que está vinculada à Casa Azul, aceleradora de startups sob o leque do Grupo de Comunicação O POVO, promoveu duas ações simples de comunicação para dois perfis de clientes: para arquitetos, foram oferecidas cortesias para a CasaCor Fortaleza, e para famílias com filhos pequenos, ingressos para show dos personagens infantis Patati e Patatá. Assim, a empresa demonstrou que o tempo que ela economizou utilizando o Mercadapp pode ser utilizado de maneira mais interessante, tornando-se diferenciada de quem apenas ajuda a economizar o tempo. “A Mercadapp não é um aplicativo de vendas de supermercado. Ela é economia de tempo para os clientes”, explica Larissa Lima, diretora de operações do Mercadapp.

Perfil

Luiz Santos trabalhou por 30 anos no Rio de Janeiro em agências de propaganda e veículos de comunicação como criativo, redator e diretor de criação. Atendeu a clientes dos mais diversos segmentos, nacionais e multinacionais, incluindo governos federal e estaduais. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)



Serviço

Projeto Cresça e apareça

www.crescaeapareca.com

Blog: http://crescaeapareca.com/blog/

Mais informações: (85) 99909-1196 (Whatsapp) | [email protected]