ELEIÇÕES 2020

André Fernandes chama família de Ciro de “facção” e ataca Capitão Wagner

Mateus Dantas/O POVO
André Fernandes chama família de Ciro de “facção” e ataca Capitão Wagner

A briga política a nível nacional que o deputado Capitão Wagner (Pros) participou, nessa terça-feira, 14, envolvendo o Ministério da Educação (MEC) e o contingenciamento ou não de verbas para instituições federais, apresenta reflexos a nível municipal. Inclusive se o assunto for Eleições em 2020.

Isso porque o deputado estadual André Fernandes (PSL), aliado do presidente Jair Bolsonaro (PSL), se manifestou via Twitter sobre o assunto. Primeiramente, o presidente municipal do PSL disse que o Ceará é dominado por “facção criminosa chamada Ferreira Gomes”.

“Ciro Gomes vende ao Brasil uma imagem falsa do Ceará, porém quem mora aqui sabe de toda a verdade! Um absurdo!”, opinou o parlamentar estadual.

E completou: “E ainda tem deputado do Ceará que se elegeu ao lado de Bolsonaro que em vez de estar fiscalizando e lutando contra essa facção criminosa aqui no estado, está atacando o próprio governo Bolsonaro. Parece brincadeira”.

Embora não tenha citado o nome do capitão da reserva da Polícia Militar, foi Wagner que nessa terça-feira usou a tribuna da Câmara dos Deputados para dizer que a suspensão do contingenciamento de recursos de instituições federais de ensino superior estava suspenso.

André Fernandes quer ser candidato, afirma Capitão Wagner

“Os partidos do presidente estavam presentes (na reunião com Bolsonaro), e vem a líder do Congresso e diz que é boato. Quem foi que criou o boato?”, esbravejou. “Foi o governo, que voltou atrás e depois voltou atrás de novo. Recuou duas vezes.”. Segundo disse, a reunião com Bolsonaro teve a presença de 12 parlamentares.

O episódio acentua o tensionamento existente na relação entre os dois políticos. Já anunciado postulante à Prefeitura de Fortaleza em 2020, Wagner queria abrigar o PSL em sua vice. Fernandes, contudo, primeiro disse que Wagner vinha dando “caneladas”,referindo-se à postura de desalinho do deputado em relação a Bolsonaro, sobretudo quando o assunto é reforma da Previdência.

Depois, o pesselista confirmou que a sigla deveria ter candidatura própria para 2020. Wagner já expressou que se Fernandes e o PSL entenderem que cometeram erro de avaliação, recepcionará o partido de braços abertos.

“Aliado”

Na sessão legislativa dessa quarta-feira, 15, Fernandes utilizou a tribuna da Casa. Criticou as manifestações pelo País e, ao final de sua fala, mencionou Wagner. Classificou o parlamentar como “amigo” e disse crer que ele “ainda é aliado nosso”.

“Deputado Capitão Wagner, vamos atacar Camilo (Santana), vamos mostrar transparência, vamos mostrar que o problema do Ceará são os Ferreira Gomes e não atacar o seu aliado Jair Messias Bolsonaro. Um abraço.”  (O Povo - é parceiro de oxereta.com)