ECONOMIA

Estado vai lançar plano estratégico com prioridades de investimento

Próximos anos. Energias renováveis

O secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Maia Júnior, informou que deve apresentar em breve ao governador Camilo Santana (PT) o plano estratégico de investimentos prioritários do Ceará para os próximos anos.

O setor de energias renováveis é uma das prioridades. Ele explica que há uma expectativa grande em relação aos próximos leilões de energia que serão realizados pelo Governo Federal. Sobretudo, o de setembro, que tem, dentre os empreendimentos inscritos, a construção de uma termelétrica na Zona de Processamento de Exportação (ZPE). "É um investimento extraordinário para o Ceará. De mais de R$ 6,5 bilhões. Não é importante só por causa da geração, mas também pelo gás. Se o resultado for positivo, será montado um porto de boias para entrada do gás natural".

O secretário ressalta que mesmo com o anúncio dos cortes na ordem de R$ 390 milhões nos gastos de custeio de todas as secretarias - o que na avaliação dele é necessário para manter o nível de investimento público do Estado-, tem sido possível avançar em algumas frentes de atração de novos empreendimentos.

Dentre estas, a finalização de um acordo com o grupo inglês Diageo, que detém a marca Ypióca, para abertura de mais uma fábrica no Estado. Desta vez, destinada ao envasamento do uísque escocês Black & White. A expectativa é que o empreendimento seja construído em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza. "É o esforço de fortalecer essa base de bebidas e alimentos no Ceará, que tem como carro-chefe a indústria M. Dias Branco e cervejarias. Estamos em negociação bastante avançada com uma terceira cervejaria para o Estado".

Também cita novos investimentos das empresas Votorantim e Apodi, além de indústrias da pecuária e de leite em pó. Maia Junior pondera, no entanto, que é fundamental que as reformas estruturantes da União sejam aprovadas. "Os planos do Ceará requerem um projeto nacional, senão a economia não vai startar a níveis largos que é o que a população precisa". (O Povo - é parceiro de oxereta.com)