ENTRE JANEIRO E MAIO

Ceará registra o menor número de homicídios em 10 anos

Registro de 935 Crimes Violentos Letais e Intencionais neste ano é o menor desde 2009, quando foram notificados 911 casos

Mateus Dantas/O POVO
Redução da violência é atribuída ao investimento em inteligência, tecnologia e análise de dados

O Ceará obteve redução de 53,2% no número de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) entre janeiro e maio de 2019. Foram 935 registros contra 1.996 no mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), que afirma ser o melhor resultado para o período desde 2009, quando foram registrados 911 casos.

Em Fortaleza, o órgão registrou o menor índice criminal no acumulado dos cinco primeiros meses do ano, também desde desde 2009, quando aconteceram 378 crimes. Com uma redução de 58%, a Capital foi de 659 CVLIs registrados em 2018 para 277 neste ano. Com esses dados, o Estado chega ao seu 14° mês de queda, e Fortaleza, ao seu 15°.

De acordo com André Costa, secretário da segurança do Estado, a identificação dos locais onde esses crimes são recorrentes foi essencial para a redução dos índices, bem como a resolutividade dos inquéritos de homicídio pela Polícia Civil e a instalação das bases do Programa de Proteção Territorial e Gestão de Riscos (Proteger) em pontos estratégicos. "Tudo isso tem melhorado e reduzido uma sensação de impunidade desses criminosos", afirma.

O superintendente de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) da SSPDS, Aloísio Lira, explica que os resultados são fruto de projeto iniciado em 2017 e que envolve inteligência, tecnologia e análise de dados voltados ao estudo da mobilidade dos crimes. Segundo o especialista, o homicídio pode ser considerado de "não mobilidade", ou seja, está associado a territórios específicos.

"Nós fizemos um estudo e mapeamos os territórios de maior interesse da segurança pública. São áreas onde levamos em consideração 69 indicadores do IBGE e fizemos correlação com os homicídios cometidos nessas regiões", explica Aloísio. De acordo com ele, 6,5% dos territórios em Fortaleza concentram mais de um quarto dos homicídios, cerca de 25% do total. "Coincidem com áreas com carência de educação, saúde e saneamento básico", declara.

Com base nos dados, foi traçada uma estratégia de atuação para a Polícia Militar (PM), visando a aproximação entre policiais e comunidades, e para a Polícia Civil, também responsável pela busca ativa de infratores. De acordo com Aloísio, a chegada de Mauro Albuquerque à Secretaria da Administração Penitenciária (Sap) "fechou o ciclo de combate ao crime minimamente estruturado".

A SSPDS declara que, nos últimos quatro anos e meio, foram investidos "mais de R$ 2 bilhões em aquisições de armas de fogo, coletes balísticos, viaturas, novas aeronaves, formação continuada dos profissionais de segurança e ingresso de novos servidores", elementos que também são apontados como fundamentais para a redução nos índices.

CVLIs

Os Crimes Violentos Letais e Intencionais somam crimes de Homicídio Doloso/Feminicídio, Lesão corporal seguida de morte e Roubo seguido de morte (Latrocínio). Fonte: SSPDS.