ITAPIPOCA

Itapipoca é a cidade menos violenta do Nordeste, aponta pesquisa da UFCG

Os dados correspondem ao ano de 2016. Maracanaú é considerado o município mais violento do Ceará, o quarto do Nordeste e a sexta nacionalmente. Capital cearense é a quinta mais violenta do Estado

Iana Soares em 24/03/2011
Igreja Matriz de Itapipoca

A cidade de Itapipoca, localizado na região Norte cearense, é considerada a menos violenta do Nordeste, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos da Violência da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), na Paraíba, divulgada no final do mês de julho. O município possui 126 mil habitantes e 14 homicídios registrados em 2016, no qual gerou uma taxa de 11,09%.

Esse relatório é do “Ranking da Violência no Brasil. Diagnóstico dos Dados por Agressão. Cidades com 100 Mil habitantes e Mais”, da UFCG. Os dados foram resgatados do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM/DATASUS) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e correspondem ao ano de 2016.

O Ceará tem nove municípios no ranking. De acordo com o estudo, Maracanaú é a mais violenta do Estado, a sexta nacionalmente e fica em quarto lugar na lista relacionado ao Nordeste, perdendo apenas para três cidades da Bahia: Lauro de Freitas, Porto Seguro e Eunápolis. A Capital cearense é a quinta mais violenta do Estado.

Os demais municípios cearenses presentes no ranking são Juazeiro do Norte, Caucaia, Maranguape, Crato, Iguatu e Sobral. Veja a tabela.

Ranking das cidades cearenses

Municípios           População (em mil habitantes)           Homicídios    Taxa de Homicídios
 
Maracanaú                223.              188                                 191                  85,58
Juazeiro do Norte      268.              248                                 139                  51,82
Caucaia                     358.              164                                 178                  49,70
Maranguape              125.              058                                   58                  46,38
Fortaleza                2.609.              716                                1164                  44,60
Crato                          129              .662                                   53                  40,88
Sobral                         203.             682                                    68                  33,39
Iguatu                         102.              013                                   31                  30,39
Itapipoca                    126.              234                                   14                  11,09

Conforme dados do estudo, das dez cidades mais violentas em suas taxas de homicídios, cinco são nordestinas (três na Bahia, uma no Ceará e em Sergipe), três nortistas (no estado do Pará), uma sudestina (no Rio de Janeiro) e uma do centro-oeste (Goiás). Veja a tabela.

Ranking Nacional

Municípios                Taxa de Homicídios                Estado  
 
Queimados                       116,93                               RJ
Eunápolis                          99,76                                BA
Porto Seguro                     96,99                                BA
Altamira                             89,14                                PA
Lauro de Freitas                85,80                                BA
Maracanaú                        85,58                                CE
Marituba                            84,51                                PA
Luziânia                            83,81                                GO
Ananindeua                      83,59                                 PA
Nossa Senhora do Socorro 82,38                              SE

O município de Queimados, no Rio de janeiro, é considerado o município mais violento do Brasil, com uma taxa de 116,93 por cem mil habitantes. Valinhos, em São Paulo, tem o menor índice do país (1,64).

Pesquisa realizada

Segundo dados do IBGE, do total de 5.567 municípios brasileiros, apenas 299 deles, ou 5,4% têm populações de 100 mil ou mais habitantes. Essas cidades juntas foram responsáveis por 59,3% de todas as mortes por agressão do país. Além disso, esta foi à faixa populacional que norteou o estudo. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)