MERCADO

Betânia prevê investir R$ 30 mi neste ano

Apenas em novo produto com assinatura saudável são R$ 8 milhões declarados. A ideia é ampliar o mix e crescer

O Brasil é o quarto maior mercado de alimentos saudáveis no mundo, segundo pesquisa da consultoria Euromonitor. De olho nessa tendência que movimenta US$ 35 bilhões por ano, a cearense Betânia Lácteos anuncia investimento de R$ 8 milhões em novo produto com esse conceito. O objetivo é que a bebida Yogi&Leve consiga alcançar o público que busca por qualidade de vida e praticidade.

Em 2018, a Betânia declarou investimento de R$ 30 milhões no grupo. Deste total, 60% foram destinados para a fábrica de Morada Nova, no Jaguaribe cearense. A meta é aportar a mesma cifra em novas linhas ao longo deste ano. Com 41% da participação de mercado da indústria de lácteos no Nordeste, o grupo é vice-líder na venda de iogurtes.

O novo alimento no portfólio, segundo a empresa, é o primeiro da América Latina que não tem a necessidade de refrigeração, com duração de três meses - mesmo armazenado fora das geladeiras. O dobro do tempo das bebidas do gênero, que requerem temperaturas baixas e possuem validade de 45 dias.

Para obter essa conservação, foi desenvolvida uma tecnologia com base em cases chineses, em parceria com Christian Hansen, referência mundial em soluções de fermentos lácteos, e da Tetra Pak, líder em soluções no mercado de envase de alimentos, na Suécia.

Para Bruno Girão, CEO da Betânia Lácteos, o consumidor está buscando leques para consumir entre refeições ou até mesmo no próprio café da manhã. Nesse cenário, a aposta foi construir uma formulação voltada para o cliente moderno, com baixo teor de açúcar, sem corantes artificiais, 100% com leite e que processe além das nutrições a praticidade.

"As pessoas têm uma percepção muito boa do iogurte como saudável. Entretanto, ele tem o inconveniente de não poder colocar na bolsa, não poder levar no carro, ônibus, academia, porque ele não suporta ficar fora da geladeira. Estamos alinhando o melhor dos dois mundos: o melhor do iogurte com o melhor da tecnologia", afirma.

O produto já está disponível nas gôndolas dos supermercados, com preço médio de R$ 2,49 (200 ml). A embalagem também é um lançamento no Brasil, a Prisma, da Tetra Pak. Bruno acrescenta que os preços são competitivos porque a produção é local, na fábrica de Quixeramobim, no sertão cearense. "Todo o leite é coletado por famílias nordestinas e cearenses. A cada 50 litros produzidos, um emprego é gerado, seja na cadeia ou na indústria", aponta.

Atualmente, a empresa tem cinco fábricas espalhadas pelo Ceará, Pernambuco, Bahia e Sergipe, além de dez centros de distribuição. Ao todo, capta mais de 800 mil litros de leite por dia, com mais de 3,5 mil famílias produtoras de leite em 130 municípios nordestinos. São 2 mil funcionários e 50 mil pontos de venda. No portfólio, tem mais de 120 itens, como leites pasteurizados, leites longa vida, bebidas lácteas, iogurtes, queijos, requeijão, leite em pó, creme de leite e leite condensado. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)