MARCIO LOBÃO

PF prende filho do ex-ministro Edison Lobão em nova fase da Lava-Jato

Ministro e nora já eram réus por suspeita de corrupção na Usina de Belo Monte

O Globo
Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (MDB-MA)

RIO - Agentes da Polícia Federal cumprem, na manhã desta terça-feira, a 65ª Fase da Lava-Jato , denominada Galeria, em cooperação com o Ministério Público Federal. Cerca de 70 Policiais Federais e 18 Auditores da Receita Federal cumprem 11 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de prisão preventiva nas cidades de São Paulo, Rio e Brasília. Entre os alvos está o ex-ministro Edison Lobão e seu filho, Márcio Lobão, que foi preso no Rio.

Em julho, o ex-ministro, o filho e a nora Marta Lobão viraram réus na Lava-Jato de Curitiba por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Eles são acusados de envolvimento em esquema de corrupção na construção da Usina de Belo Monte. De acordo com a denúncia da força-tarefa do Paraná, foram praticados crimes de corrupção e pagamentos ilícitos que chegam a R$ 2, 8 milhões, entre 2011 e 2014, por meio do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, mais conhecido como departamento de propina.

Na época dos fatos, Lobão ocupava o cargo de ministro das Minas e Energia no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) .

De acordo com a PF, os valores indevidos teriam sido incorporados por esses ex-parlamentares, com o decorrer do tempo, ao seus patrimônios dos investigados por meio de complexas operações de lavagem de dinheiro, tais como transações sobrevalorizadas de obra de artes, inclusive em nome de laranjas, simulações de compra e venda de imóveis, simulação de empréstimos, depósitos fracionados em espécie e utilização de contas e transações financeiras no exterior.

São investigados também contratos de grupo empresarial que atua no ramo de serviços ambientais com empresa de logística no ramo de combustíveis (empresa responsável pelo transporte e logística do combustível dentro do território nacional e operações de importação e exportação de petróleo e de derivados).

Indicação do pai

Filho e irmão de senadores, Márcio Lobão passou a última década na presidência da Brasilcap, braço dos planos de capitalização do Banco do Brasil. Em 2008, foi promovido à chefia da empresa justamente quando o pai, Edison Lobão, negociava a saída do DEM, partido de oposição, para o PMDB, então base aliada do governo petista. O advogado tomou posse em 24 de setembro de 2007 no que foi considerado à época uma clara indicação do senador ao posto na empresa, que, embora privada, guardava forte influência do BB — 49,99% de seu capital. (O Globo)