REGGAE DOS ROMEIROS

Autor de 50 músicas, Pedim Samburá faz sucesso com "Reggae dos romeiros", em Canindé

Aurelio Alves/O POVO
Devoto de São Francisco, Pedim "Samburá" canta na festa de São Francisco das Chagas de Canindé

Pedro Pereira da Silva não sabia que seria cantor. Um dia, porém, como se atingido por uma revelação, calhou de versejar, e as palavras foram brotando no juízo desse maranhense de 68 anos.

Tocada ao vivo na tenda que acolhe os fiéis durante a festa em homenagem ao padroeiro nesta sexta-feira, Pedim logo se viu cercado de uma pequena multidão. Arrastando o pé, mulheres usando as vestes marrons típicas acompanhavam a cadência do ritmo criado pelo músico e incluído no último dos seus quatro CDs já gravados.

Embora goste de reggae, gênero comum no seu estado natal, Pedim diz que “não grava música mundana”. A forma que encontrou para superar esse obstáculo foi celebrar São Francisco em praticamente todos os seus trabalhos.

Autor de 51 músicas, que considera hinos religiosos, Pedim conta que a inspiração para a composição surge da fé. “Eu sou muito interessante. Eu faço os meus hinos, não tenho nenhum hino escrito”, fala. “Só tenho gravado e decorado. Está tudo aqui, memorizado, por causa da fé.”

O artista apresenta-se sobretudo nos ônibus que transportam romeiros de cidades do Maranhão para o Ceará. Em Canindé, pode ser visto oferecendo os discos a quem se interessar, mas também cantando ao vivo, de graça, para divertir os visitantes. O custo é R$ 20.

Sobre a qualidade das canções, Pedim brinca: “Se prestar, graças a Deus. Se não prestar, eu assumo de todo meu coração”. Na manhã de hoje, ninguém reclamou (O Povo - é parceiro de oxereta.com)