SÉRIE A

Em meio a maratona, Ceará e Fortaleza precisam de estratégias para manter competitividade

Times têm série de jogadores em fase de transição nos departamentos médicos e podem "engordar" elenco para sequência de nove jogos em 32 dias

Felipe Santos/Cearasc.com / Fabio Lima - O Povo - capa
Luiz Otávio não jogou as últimas 8 partidas do Vovô / Felipe Alves é um dos principais destaques do Leão na temporada

Nove jogos, cinco deles fora de casa, e com intervalos de, no máximo, quatro dias entre uma partida e outra. Essa é a maratona que Fortaleza e Ceará iniciarão amanhã, contra Chapecoense-SC, em casa, e Grêmio-RS, fora, respectivamente. Os times só terão uma semana de descanso entre a 32ª e 33ª rodadas — logo após o Clássico-Rei, em 10 de novembro. Com a sequência intensa de jogos pela frente no Brasileirão, Rogério Ceni e Adílson Batista terão de criar estratégias para revesar os jogadores, de modo a não sobrecarregar os atletas e evitar ao máximo aumentar o número de demandas dos departamentos médicos (DMs).

Principal desfalque do Fortaleza, o goleiro Felipe Alves completou duas semanas de tratamento, após lesão no músculo adutor da coxa esquerda. A previsão total do DM é de volta em três a quatro semanas. De acordo com o repórter Miguel Júnior, da Rádio O POVO CBN, ontem, o arqueiro fez, separado do grupo, treino em campo, e seguiu para a fisioterapia. Felipe tem sido substituído por Marcelo Boeck. Ídolo tricolor e com atuações elogiadas por Ceni, o camisa 1 levou nove gols e fez 20 defesas — sendo oito difíceis — em cinco partidas. As estatísticas são do site SofaScore.

Já pelo Ceará, que viajou ontem para Porto Alegre (RS), a preocupação também é no setor defensivo. O zagueiro Luiz Otávio está na fase final da transição. Conforme o repórter Gerson Barbosa, da Rádio O POVO CBN, o defensor fez ontem treino regenerativo e pode ser opção do técnico Adílson Batista para domingo, 13, contra o Avaí-SC. O zagueiro não joga há cerca de um mês e meio, período no qual o Ceará não venceu nenhuma das oito partidas que fez.

Luiz Otávio teve uma torção no tornozelo no jogo contra o São Paulo, ainda no primeiro turno. Quando voltou a trabalhar com o grupo, sentiu a coxa em um treino de finalização e prolongou o período de ausência.

Com 33 jogadores no elenco profissional, o Leão do Pici conta hoje com 29. Além de Felipe Alves, Jackson, que sentiu um desconforto no ombro esquerdo, e Roger Carvalho, em recuperação de cirurgia no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, permanecem no DM. Éderson está em fase transição física. Romarinho e André Luís, que chegaram a preocupar por incômodo sentidos nos jogos contra Botafogo-RJ e São Paulo, respectivamente, treinaram normalmente, ontem, junto ao restante da equipe. Diego Tavares também treinou com bola.

No Alvinegro de Porangabuçu, dos 32 atletas, cinco estão ou em transição ou no DM. Além de Luiz Otávio, Romário, Richard e João Paulo, conforme assessoria do clube, estão em fase de transição. Alex Amado está no DM. Não há previsão de retorno para os quatro últimos atletas. O goleiro Richard rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito em maio e não deve mais ser usado na temporada. Situação similar a de Alex Amado e a de João Paulo, que também não devem mais atuar pelo time, este ano. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)