PARACURU

Ceará registra 6 vazamentos de óleo em 5 anos; todos em Paracuru e pela Petrobras

Um dos derramamentos, registrado em 2017 no campo de Xaréu, foi incluído entre os cem piores episódios no tipo no País desde 2012

Flourish logoA Flourish data visualisation
Ceará registra 6 vazamentos de óleo em 5 anos; todos em Paracuru e pela Petrobras

As manchas de óleo que vêm surgindo em praias do Nordeste há quase três meses não são os únicos casos do tipo registrados no Ceará. Para além do desastre ambiental que toma todo o litoral da região desde o fim de agosto, o Estado já registrou seis casos de derramamento de óleo apenas no últimos cinco anos – todos eles em plataformas da Petrobras.

Todos os episódios ocorreram na plataforma de petróleo do campo de Xaréu, mantida pela Petrobras a 30 quilômetros da costa de Paracuru, na Região Metropolitana de Fortaleza. A informação tem base em dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP) sobre episódios de derramamento de óleo no litoral brasileiro nos últimos anos.

Entre os seis episódios, cinco foram considerados “descargas menores” e apenas um, de julho de 2017, como “descarga considerável”. Neste caso, foi derramado 0,2 metro cúbico de petróleo no mar da sub-bacia do Mundaú. Pode parecer pouco, mas o volume foi o suficiente para incluir o incidente entre os cem piores derramamentos de petróleo do País desde 2012.

Ao todo, foram quatro episódios de derramamento de petróleo (um em fevereiro de 2015, um em julho de 2017, um em fevereiro de 2018 e um em setembro de 2019), um de óleo combustível (em dezembro de 2014) e outro de óleo diesel (em novembro de 2017). Os incidentes não incluem o óleo encontrado nas praias do Ceará desde o final do agosto.

Petrobras diz adotar “melhores práticas”

Em nota, a Petrobras diz que comunica qualquer ocorrência do tipo à ANP, não importando o tamanho do vazamento. “A companhia adota as melhores práticas de gestão ambiental no exercício regular de suas atividades e realiza ciclos de inspeção preventiva em suas instalações. O respeito à vida, às pessoas e ao meio ambiente é um dos valores da Petrobras”.

“Apesar de todas as medidas preventivas, caso ocorram incidentes, de imediato serão verificadas as causas e utilizados todos os recursos disponíveis e necessários para a mitigação de possíveis impactos”, continua a companhia. O POVO questionou sobre o episódio específico de julho de 2017 e sobre o campo de Xaréu em si, mas não recebeu resposta.

Petróleo cearense

Descoberto em 1977, Xaréu foi o primeiro campo de extração de óleo do Ceará. Além dele, o Estado possui outros três – Atum, Curimã e Espada. Apesar de considerados de menor proporção, os campos cearenses se destacam pela alta qualidade do óleo extraído, sendo três deles produtores de “petróleo leve”, de maiores atributos comerciais.

Seguindo a escala API, que mede a densidade de produtos de petróleo, o campo com o petróleo de maior qualidade é o de Xaréu (39º API), seguido de Espada (37º API), Atum (32º API) e Curimã (27º API). Para ser considerado petróleo leve, o valor na escala deve ser superior a 30 API. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)