ECONOMIA

"Meu trabalho é sobre a possibilidade de ter saúde financeira ganhando um salário mínimo", afirma criadora do Finanças com a Nath

Nathália Rodrigues, criadora de conteúdo e estudante de administração, fala sobre educação financeira, acessibilidade do conteúdo e dá dicas de como controlar o dinheiro

Divulgação/Acervo Pessoal
Nathália revela, com toque de humor, que a primeira pessoa a inspirá-la a não gastar menos do que ganha foi Julius, personagem da série americana Todo Mundo Odeia o Chris.

Nathália Rodrigues tem 21 anos e 36,7 mil inscritos no canal do YouTube Finanças com a Nath. No sétimo período da faculdade de Administração e estagiária no departamento financeiro de uma empresa, a universitária fala sobre economia para um público muitas vezes renegado no assunto: aqueles que ganham salário mínimo ou estão desempregados.

“Em janeiro de 2019, eu criei o projeto de ensinar tudo que aprendo na faculdade de maneira acessível. Eu via canais falando sobre educação financeira, mas de um jeito que não atende às pessoas de baixa renda, falando sobre fórmulas mágicas para ficar rico”, conta. Em entrevista ao O POVO, Nath fala sobre as responsabilidades e os prazeres de discutir educação financeira.  (O Povo - é parceiro de oxereta.com)


Confira:

O POVO - Como os temas dos vídeos e das postagens no Twitter são definidos?

Nathália Rodrigues - Depende bastante, os temas são definidos de acordo com as notícias que eu vejo, com as perguntas que recebo pelo Twitter, Instagram, Youtube e email e também com as pesquisas que eu faço, experiências que eu ou familiares e amigos próximos tiveram. Sempre consigo identificar uma oportunidade para trazer novas pautas para criar conversas com a minha comunidade na internet.

OP - A senhora diz que seu público é de estagiários, bolsistas, estudantes, desempregados, pessoas que ganham um salário mínimo. No que é preciso estar mais atenta quando se discute educação financeira e economia com e para esse público?

NR - Não tem fórmula mágica. Meu trabalho não é sobre como acumular R$ 1 milhão, é sobre mostrar que é possível ter saúde financeira quando se ganha um salário mínimo. Não é fácil, eu sei. Mas precisamos ajudar as pessoas a mudarem a relação que se tem com o dinheiro.

OP - O que a senhora mais considera os pontos essenciais na produção de conteúdo acessível, principalmente sobre economia?

NR - Falar sobre finanças sempre foi um tema muito elitizado, né? Trazer a perspectiva de uma pessoa de baixa renda que está estudando sobre finanças pessoais e economia doméstica promove uma conexão muito maior com as pessoas desta mesma realidade. Para mim, para produzir conteúdo acessível, em termos de linguagem e compartilhamento de conhecimento, é fundamental que se tenha ciência da responsabilidade que carrega, comprometimento com a sua comunidade e conexão com a sua realidade.

OP - Um assunto muito recorrente nas suas publicações no Twitter e na coluna no veículo Voz da Comunidade é a ausência de educação financeira nas escolas. Como as pessoas que não tiveram acesso à educação financeira podem acessar conteúdos de qualidade?

NR - Educação é tudo. A educação muda realidades, isso é um fato. A educação financeira tem um papel fundamental na construção de uma sociedade mais consciente e justa. Hoje temos a oportunidade de ter acesso a muita informação por meio da internet - embora a gente saiba que essa não é uma realidade para todos os brasileiros, infelizmente. Mas, sem dúvidas a internet é um grande aliado no acesso à informação, não só sobre educação financeira.

OP - Como reconhecer discursos de economia e/ou investimentos que não se encaixam com a realidade do espectador?

NR - Para reconhecer discursos que não estão dentro da realidade do espectador, eu acredito que a pessoa precisa se conhecer, ter consciência da sua realidade.

OP - O que significa ser colunista no veículo Voz da Comunidade? Como é a experiência do trabalho?

NR - Sou parceira do Voz da Comunidade e já tive alguns artigos publicados no portal, mas atualmente tenho me dedicado à produção de conteúdo para os meus canais. Espero conseguir voltar a escrever regularmente em breve, mas este ano estou terminando a faculdade - além do estágio e da criação de conteúdo para os meus canais.

OP - É só percorrer rapidamente os comentários nas postagens do canal e do Twitter que já é possível conferir alguns relatos de como o conteúdo produzido auxiliou várias pessoas. Existe algum relato que te marcou mais?

NR - Eu me emociono muito quando recebo essas mensagens, essa é a razão pela qual eu produzo conteúdo: para poder ajudar as pessoas a buscarem a saúde financeira. Não saberia te dizer uma em especial, por todas elas me fazem perceber que estou no caminho certo, ajudando a minha comunidade.

Cinco dicas da Nath para quem quer começar a controlar as finanças pessoais
1. Entenda como você se relaciona com o dinheiro: Como você se comporta, principalmente em relação às emoções, e como isso afeta sua vida financeira;

2. Faça sua vida financeira um hábito: Anotando seus gastos, estudando e entendendo o que é necessário e o que é desejo de consumo. Recomendo o livro O poder do hábito, de Charles Duhigg;

3. Não deixe de anotar seus gastos semanais/diários: Escolha um dia específico para organizar sua finanças (1 vez por semana ou todo dia), isso faz diferença;

4. Controle seu dinheiro: Com planilhas, aplicativos ou até folha de caderno. Tenho vídeos no canal sobre o assunto!;

5. Guarde o que puder: Não fique triste se você não consegue guardar 20% da sua grana para investir. O importante é você estudar e controlar sua grana. Guarde o que puder, não fique frustradx.

Por onde começar?

“Imagina você que tem contas pra pagar e não sabe quanto de saldo você tem? Como vai manter sua saúde financeira boa? Vamos colocar esse hábito em prática! Pode anotar semanalmente ou diariamente seus gastos”, sugere a estudante de administração.

Segundo Nathália, o importante é anotar as finanças. As dicas dela são:

- Folha de caderno: Separe as despesas, se você tem conta fixa todo mês, já anota e deixa no caderninho

- Planilhas financeiras: No meu canal eu tenho uma planilha e ensino como usar

- Grupo no WhatsApp só com você: Não esquece de anotar o amendoim que gastou no trem, hein!

- Aplicativos de controle financeiro: Tenho no meu canal 4 melhores apps