RECESSÃO MUNDIAL

Moody's prevê recessão em todos os países do G20 neste ano diante da crise pelo coronavírus

Agência de classificação financeira prevê contração de 0,5% do PIB do grupo de 20 maiores economias do mundo

As economias do grupo dos 20 países mais industrializados do mundo (G20) devem entrar em recessão este ano devido à pandemia de coronavírus, alertou a agência de classificação financeira da Moody's nesta quarta-feira, 24.

Globalmente, a agência prevê que esses países sofrerão uma contração de 0,5% do seu PIB.

Nos Estados Unidos, essa queda será de 2% e na zona do euro, 2,2%. A China deverá crescer 3,3%, embora a um ritmo muito lento para o padrão de uma economia que só cresce desde 1976.

"As economias do G20 sofrerão um choque sem precedentes na primeira metade do ano e se contrairão durante todo o ano antes de se recuperar em 2021", prevê a agência, que estima a recuperação do próximo ano em 3,2% para todos os países do grupo.

A Moody's lembra que em novembro, antes do início da pandemia, previa um crescimento global de 2,6% para os países do G20 em 2020.

Uma reunião do grupo sobre a luta contra a pandemia será realizada por videoconferência na quinta-feira, 26, sob a presidência do rei Salman da Arábia Saudita.

As 20 principais potências econômicas mundiais se unirão a outros países afetados pelo coronavírus, como Espanha, Jordânia, Cingapura e Suíça, além de líderes de organizações internacionais como as Nações Unidas, o Banco Mundial e a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Comércio (OMC).

"As autoridades orçamentárias e monetárias aumentam cada vez mais o apoio a suas economias para evitar danos permanentes a famílias e empresas", diz Moody's.

Fazem parte do G20 os tradicionais oito países mais ricos e influentes do mundo, o chamado G8 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia), e 11 países considerados emergentes na época da criação da classificação (África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México e Turquia). (O Povo - é parceiro de oxereta.com) 

jld/aue/lp/bds/pc/cc