MARTHA ROCHA

Relembre aparições de Martha Rocha, a primeira Miss Brasil, nas páginas do O POVO

A modelo, que morreu nesse sábado, chegou a dar nome até a uma embarcação que transportava banhistas na Barra do Ceará

Divulgação
Marta Rocha em 8 de agosto de 1991

“O concurso de ‘miss’ Brasil, na realidade, começou a despertar a atenção dos cearenses em 1954, quando a baianinha Martha Rocha foi eleita e representou nos Estados Unidos a beleza da mulher brasileira, perdendo o título de ‘miss’ universo por causa daquelas miseráveis ‘duas polegadas a mais’ nos quadris”, narrava O POVO na edição dos dias 4 e 5 de julho de 1964 em referência ao episódio que marcou a carreira da ex-modelo, apesar de ter sido desmentido por ela anos depois.

Martha Rocha, a primeira Miss Brasil, morreu nesse sábado, 4, em decorrência de insuficiência respiratória seguida de infarto. A morte foi divulgada apenas na tarde desse domingo. De acordo com informações divulgadas pelo portal G1, a ex-modelo tinha 87 anos e morreu em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Ao longo da segunda metade do século XX e nos primeiros anos do século XXI, a presença de Martha Rocha foi recorrente nas páginas do O POVO. Seu nome deu título até mesmo para uma embarcação que atravessava a Barra do Ceará. “Boa parte da população se desloca para ali, com o desejo de tomar o seu banho mais tranquilo, no outro lado da barra. O transporte das pessoas é feito por barco — principalmente o ‘Marta Rocha’”.

Em 2002, o caderno “Almanaque” dedicou duas páginas para uma retrospectiva da modelo. Na ocasião, além de relembrar a história de Martha, a reportagem refletiu sobre os sacrifícios que as mulheres tinham que fazer para se encaixar nos padrões exigidos pelos concursos de beleza.

No ano anterior, O POVO cobriu a terceira noite do Dragão Fashion, evento anual de moda, com este título: “De Jericoacoara à Martha Rocha”. A menção se destinava à nostalgia de trajes clássicos das décadas de 50 e 60.

“Destaque para as estampas: as famosas calçadas de Ipanema, desenhos do arquiteto Niemeyer que formam grafismos e até o rosto da Martha Rocha. Aliás, outra homenagem foi feita à miss baiana. Suas famosas duas polegadas foram graciosamente lembradas em um cinto que imitava uma fita métrica”.

'Namorada do Brasil'

"Martha Rocha teve uma grande responsabilidade nos anos 50, pois era o único motivo de orgulho do Brasil. O país acabava de ser eliminado da Copa do Mundo de Futebol e vivia a crise do governo Vargas com o crime na Rua Tonelero, em Copacabana. Vivíamos o auge do nacionalismo", lembra o jornalista e coordenador do Miss Brasil 2020 Roberto Macedo, em entrevista ao Correio da Bahia.

Segundo Macedo, em Long Beach, na Califórnia, sede do Miss Universo, Martha se transformou na grande favorita. "Mas perdeu, ficando em segundo lugar. E perdeu logo para uma norte-americana... A partir de então Martha Rocha se transformou na 'Namorada do Brasil' e tudo o que era belo passou a ter o seu nome: a maior água marinha descoberta, uma deliciosa torta que existe até hoje, uma caminhonete lançada pela Ford, um trem, um tecido. Ou seja, Martha Rocha trouxe de volta a esperança e o orgulho nacional. E isso não tem preço, é inesquecível", destaca.

O jornalista Artur Xexéo reforçou que, após vencer o concurso de miss, Martha passou a ser acompanhada por admiradores e pela imprensa como uma celebridade. "Foi um acontecimento mesmo. Quando ela casou, quando separou, quando ela aparecia numa festa, todas as atenções se voltavam para ela e era notícia no dia seguinte", pontuou.

Colaborou o pesquisador Roberto Araújo; com informações do Correio, via Rede Nordeste