LEITOS NA REDE PÚBLICA

Taxa de ocupação de leitos de UTI da rede pública está em 85% nesta segunda

Segundo o sistema, a taxa geral de leitos, contando unidades públicas e privadas, com pacientes por Covid-19 em UTIs, está em 72,5% e para os de enfermaria em 46,2%

Teresa Fernandes/Ascom HRN
A secretaria de saúde explica que a discrepância acontece pelo maior procura dos pacientes na rede pública

Número menores de casos confirmados e de óbitos tem passado a sensação de tranquilidade para os cearenses, mas a situação ainda tem apresentado complicações. 85,3% dos leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) da administração pública do Estado estão sendo ocupadas, segundo a última atualização do IntegraSus, plataforma da Secretária da Saúde (Sesa), nesta segunda-feira, 29, às 13h03min.

Já para o número de leitos de enfermaria a taxa não passa da metade, com 49% ocupados. O valor no geral, entretanto, somando unidades da rede pública, privadas(empresariais) e entidades sem fins lucrativos, ainda está entre os mais baixos desde o começos dos registros no dia 29 de abril. Segundo o sistema, a taxa de leitos com pacientes por Covid-19 em UTI's está em 72,5% e os de enfermaria 46,2%.

Essa diferença é considerada normal considerando a demanda e a procura, explica a secretária estadual. Isso acontece devido a maior quantidade de unidades disponíveis no sistema, que é relativamente bem mais expansiva que as outras tipologias. Por exemplo, o Hospital Leonardo da Vinci, que recebe exclusivamente pacientes de Covid-19, oferece, pelo sistema, 150 leitos de UTI e 66 de enfermaria. Enquanto isso, hospitais da rede particular ou entidades sem fins lucrativos, disponibilizam, no máximo, 20 ou 30 leitos.

A Sesa afirma também que existe uma maior de demanda de pacientes que dependem exclusivamente do sistema público e, por isso, a proporção de ocupação está mais alta.

Em maio, o valor total de ocupação no Ceará chegou em 90% para unidades intensivas e mais de 70% para de enfermarias. O número de leitos com pacientes no Estado têm apresentado variações, desde a segunda-feira da semana anterior, 22, os valores variaram entre 76% a 68%, estando apenas três vezes menor que desta segunda-feira, 29.

Em Fortaleza, considerada o epicentro da doença, tem 81% dos seus leitos de UTI's de administração pública ocupados e uma taxa parecida para leitos do mesmo seguindo em enfermaria, 71,2%, nesta segunda-feira, 29 O valor vinha de um histórico de quedas, na quarta-feira, 24, chegou a 67,7%.

Em coletiva de imprensa sobre a situação do município, a titular da saúde de Fortaleza, Joana Maciel, explicou que as segundas-feiras são dias em que, normalmente, há o aumento da procura no sistema de atendimento. A cidade está na 2º fase do processo de retomada da economia, em que shoppings, lojas e restaurantes voltam a funcionar. A secretaria continuar monitorando os índices, entre eles, a demanda assistencial, para amparar as atividades.

Até a última atualização do IntegraSus, no domingo, 28, às 18 horas, 107 mil pessoas foram confirmadas com a doenças e 5.9995 morreram com Covid-19. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)