PLANTÃO GRAMATICAL

Pioneiro no Brasil, Plantão Gramatical completa 40 anos de serviço

Camila de Almeida/O POVO
Registro dos atendentes do Plantão Gramatical, no Imparh, em 2016

Plantão Gramatical completa 40 anos de serviço em setembro. A iniciativa, fundada em 1980 pela extinta Fundação Educacional de Fortaleza (Funefor), é pioneira no Brasil. O serviço foi criado pela Prefeitura de Fortaleza com a proposta de auxiliar a comunidade no uso correto do idioma brasileiro. Ao longo desses anos, o Plantão Gramatical registrou cerca de 700 mil atendimentos, tirando dúvidas sobre ortografia, morfologia, sintaxe, semântica e demais assuntos da Língua Portuguesa.

Atualmente, o Plantão Gramatical fica localizado no Instituto Municipal de Desenvolvimento de Recursos Humanos (Imparh), onde antes funcionava a Funefor. A equipe do Plantão Gramatical é formada por cinco professores que atendem por telefone ou presencialmente, na sede do Imparh. Por mês, são registradas uma média de mil consultas, entre público que vai desde estudantes e concurseiros, até advogados, jornalistas e profissionais de diferentes áreas de atuação.

Para atender ao público com orientações em língua portuguesa, assim como nas demais redes de ensino, é exigida a formação na faculdade de Letras, conforme salienta a professora Márcia Linhares Rodrigues, 36, que atua no Plantão Gramatical. “No início, a experiência é um pouco preocupante porque você não sabe qual é o tipo de pergunta que vem, então deve estar preparado para qualquer pergunta, a ser respondida num período curto”, detalha a educadora.

Segundo Márcia, as conversas costumam durar cerca de três minutos, e, dependendo do tipo de consulta, pode levar um pouco mais de tempo para garantir que o consulente compreenda aquela questão. “Às vezes, ele não quer apenas a resposta, quer entender o porquê. Tem também aqueles que querem apenas saber como é a escrita [de uma palavra], se está correta e adequada”, explica. “Então, a gente tem que se adequar aquela pessoa que está ligando e entender qual é o propósito dela para poder resolver esse problema”.

Os atendimentos no Plantão Gramatical chegam ao período de alta demanda, em semanas anteriores aos concursos públicos ou a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo Márcia, que trabalha há oito anos atendendo pais, estudantes e concurseiros por meio da iniciativa, é possível até formar vínculos com aqueles que buscam atendimento. Os consulentes mais habituados com o serviço reconhecem facilmente os professores, que também já estão familiarizados com parte do público.

“A experiência é maravilhosa, eu particularmente gosto muito, acho interessante porque a gente tem esse contato com a pessoa, apesar de não vê-la” acrescenta Márcia, que é formada em Letras (Português-Literatura), pela Universidade Federal do Ceará e mestranda em Lingüística Aplicada pela Universidade Estadual do Ceará, (Uece).

Atendimento por ligação é o mais comum

Mesmo dispondo dos mais variados recursos tecnológicos, a população ainda procura o serviço via telefone para tirar suas dúvidas sobre o uso correto da língua portuguesa. Esse método, de acordo com Márcia, foi planejado desde a fundação do Plantão. E mesmo que existam solicitações para que o serviço seja adaptado para as redes sociais e outros meios, esse formato ainda é considerado ideal, pela possibilidade mais acessível ao público, que é diverso.

“Por mais que tenha a Internet e essa acessibilidade rápida, ela é um faca de dois gumes, porque lá você vai encontrar o correto e o incorreto”, comenta a professora. “[Lá] eu tenho a praticidade de respostas diferentes, mas não da resposta correta, que é o que essas pessoas precisam. Então, eles sempre nos ligam e questionam o que tem na Internet. A gente dialoga e chega a um consenso”, detalha Márcia.

As mudanças, entretanto, não deixam de ser percebidas. A professora recorda que costumavam receber dúvidas por meio de fax, por exemplo. Mas esse serviço acabou se tornando muito particularizado, visto que poucas pessoa o utilizavam. “Teve uma queda mínima na ligação, mas ainda recebemos cerca de 100 ligações por dia”, complementa a professora, recordando que, antes, o Plantão costumava receber pelo menos 150 ligações diariamente.

O serviço do Plantão também está disponível para atender pessoas de outros municípios e estados brasileiros, além de registrar atendimentos em outros países. A iniciativa foi modelo para cidades brasileiras implantarem um tira-dúvidas de português, como Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, chegando a dar treinamento para professores de Roraima. O atendimento no Plantão Gramatical ocorre de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, no Imparh. O número de telefone, meio mais usado, continua o mesmo desde a sua fundação: 3225-1979. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)


Serviço

Plantão Gramatical
Telefone: (85) 3225.1979
Funcionamento: segunda a sexta-feira, das 8h às 17h