"CARGO DE CONFIANÇA"

Servidor usa carro oficial da prefeitura para contratar assaltantes e roubar casa de prefeito em Crateús, no Ceará

Cinco pessoas foram identificadas, das quais quatro estão presas, incluindo uma pessoa que, na época do crime, era servidora no gabinete do prefeito.

REPRODUÇÃO
Prisão do ex-motorista suspeito de contratar assaltantes em viagem com carro oficial para assaltar casa do prefeito de Crateús

O ex-motorista do prefeito de Crateús, no interior do Ceará, usou o carro da prefeitura e diárias pagas pelo município para planejar um roubo à casa do próprio prefeito. À época do crime, ele era contratado do gabinete do gestor. A autoria do crime foi revelada nesta segunda-feira (8) pela Polícia Civil do Ceará.

Marcelo Ferreira Machado (Solidariedade) teve a casa roubada em 15 de outubro de 2020. Conforme a Polícia Civil, os suspeitos levaram uma maleta dele com um valor entre R$ 10 mil e R$ 12 mil, além de documentos.

As investigações levaram a cinco suspeitos de envolvimento no crime. Quatro estão detidos, incluindo o ex-motorista pessoal dele, Jonny Ferreira Rodrigues. Conforme a Polícia Civil, Jonny foi o mentor intelectual do roubo e viajou à Fortaleza em missão oficial pelo município, mas aproveitou para contratar pessoas e executar o crime. Jonny foi candidato à Câmara Municipal de Crateús, em 2016, mas perdeu e ficou na suplência.

De acordo com o delegado regional de Crateús, Matheus Araújo, "No dia do assalto, Jonny ficou colado no prefeito. A missão dele era verificar a sua movimentação, já que estava em campanha eleitoral, e da polícia." Segundo o delegado, o então servidor da Prefeitura sinalizou o momento ideal para que o bando iniciasse a abordagem.

Suspeito trabalhava no gabinete

Conforme o portal da transparência do município, na época do roubo, Jonny Ferreira estava lotado em um cargo comissionado da assessoria de gabinete da Prefeitura, com salário equivalente a R$ 2,2 mil. Ele esteve como funcionário do município até dezembro do ano passado, mas já não aparecia como beneficiário em janeiro deste ano.

As investigações começaram no mesmo dia , com a prisão de um dos suspeitos do crime, que teria sido contratado em Fortaleza para quebrar um suposto cofre de posse do prefeito. Esse objeto não foi encontrado pelo bando durante a ação. A última prisão ocorreu no nesse sábado (6), em Fortaleza, mas a Polícia Civil ainda tenta prender mais um suspeito, cuja localização ainda não foi realizada. (Portal G1)