OXIGENAÇÃO POR MEMBRANA

ECMO: tratamento utilizado por Paulo Gustavo já foi aplicado em 56 pacientes em Fortaleza

A ECMO é indicada para pacientes que não respondem ao uso da ventilação mecânica. O preço do equipamento hoje pode variar entre R$ 34 mil e R$ 57 mil

Instituto Citycor
A ECMO já foi utilizada em pacientes da rede pública e privada em Fortaleza.

O tratamento por Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO) ganhou repercussão quando passou a ser utilizado pelo ator Paulo Gustavo, internado com Covid-19. Em Fortaleza, desde o começo da pandemia, 50 pacientes com o coronavírus fizeram uso da técnica na rede privada e mais seis pacientes na rede pública.

A ECMO é indicada para pacientes que não respondem ao uso da ventilação mecânica. O preço do equipamento importado hoje pode variar entre R$ 34 mil e R$ 57 mil, sujeito a ajustes decorrentes da alta do dólar.

Atualmente, existem seis pacientes diagnosticados com o coronavírus utilizando ECMO na rede Unimed e outros dois no Hospital de Messejana (HM), na Capital. O cirurgião cardiovascular Juan Mejia atua no grupo de transplante cardíaco e assistência circulatória mecânica do HM, além de dirigir o programa de ECMO da clínica CityCor.

De acordo com Juan, que é especialista em ECMO pela Organização de Suporte Extracorpóreo à Vida (Elso), a técnica é capaz de retirar o sangue rico em gás carbônico (CO2) do lado direito do coração com uma bomba, empurrando esse sangue através de uma membrana artificial sintética que está recebendo oxigênio.

Dessa forma, o sangue já oxigenado artificialmente é colocando dentro do coração de novo. "A ECMO oxigena artificialmente o sangue fora do corpo e o devolve para o coração para que siga seu curso natural, já oxigenado, sem precisar do pulmão", completa o médico.

Pacientes do coronavírus

Em pacientes com Covid-19, o equipamento pode trazer bons resultados exatamente porque o pulmão está comprometido. Por meio da ajuda do "pulmão artificial" que a ECMO proporciona, é possível melhorar o teor do oxigênio do corpo. Assim, o sangue ofertado para órgãos e tecidos será de melhor qualidade viabilizando que funcionem de forma adequada.

A ECMO geralmente é empregada durante duas ou três semanas, possibilitando que o pulmão desinflame. "Nesse intermédio o paciente terá que ter uma fisioterapia pulmonar agressiva, terá que continuar na ventilação mecânica e ter todos os cuidados que um paciente crítico precisa", continua o médico.

Segundo Juan, indicadores mundiais apontam que aproximadamente 50% dos pacientes têm resultados positivos com a ECMO e conseguem se recuperar. Depois que a pessoa sai da ECMO, ficando com o ventilador convencional, é hora de prepará-la para deixar a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e começar a reabilitação pulmonar. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)