"QUEBRA DE PARADIGMA"

"Foi uma quebra de paradigma", comemora alagoana com síndrome de Down após tirar CNH

Desde cedo, Laura Simões coleciona "pequenas grandes" conquistas. A última foi conseguir a habilitação de motorista

Reprodução/Instagram
Atualmente, Laura trabalha como recepcionista em um hotel na capital de Alagos, Maceió

"Independência, poder ir e vir, é desejo de todo mundo e o meu também", celebra Laura, agora habilitada para dirigir (Foto: Reprodução/Instagram)
Aos 20 anos, a alagoana Laura Simões sempre buscou superar as adversidades e contrariar as estatísticas. Diagnosticada com Síndrome de Down, a caçula da família coleciona desde cedo memórias de “pequenas grandes” conquistas, com o incentivo dos pais e do irmão. A mais recente delas foi obter sua primeira licença para dirigir.

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) chegou em sua casa no dia 19 de abril e após ter o feito compartilhado nas redes sociais, a história da alagoana viralizou. “Tirar a habilitação foi uma quebra de paradigma, além da liberdade é claro [...] Independência, poder ir e vir, é desejo de todo mundo e o meu também. Desejo isso desde de sempre”, comemora Laura.

Laura diz que apesar de se entender fora do padrão devido sua deficiência, acha importante frisar que é uma pessoa comum como todas as outras. “Minha condição sindrômica nunca me restringiu das coisas triviais. Por exemplo, eu não salto de paraquedas (risos), mas sei nadar... andar de bicicleta”, observa.

O processo de independência da jovem começou em casa, com a família. Ela aprendeu a nadar com uma prima muito próxima. Andar de bicicleta foi sua mãe quem a ensinou, embora a própria mãe não soubesse andar de bicicleta, como Laura relembra aos risos. “Não tive medo, tenho segurança na minha família. Sou corajosa e amparada”, ressalta com orgulho.

Outro passo importante de sua caminhada foi dado há um ano e três meses, quando Laura começou a trabalhar como auxiliar de recepção em um hotel de Maceió. Um dia após receber sua CNH, já foi para o trabalho dirigindo, mas lembra: “Por enquanto, dirijo acompanhada, ainda não tenho prática, faço tudo com segurança”.

A jovem e sua família acreditam que ela seja a primeira pessoa com Down a tirar a habilitação em Alagoas. O POVO procurou o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do estado, que não confirmou a informação. De acordo com o órgão, no sistema o candidato (a) consta apenas como "apto (a)". Não há diferenciação ou menção de alguma observação sobre a pessoa ter Down ou não, visto que não há nenhuma restrição ou impedimento para pessoas com essa deficiência dirigirem.

Nada, contudo, que impeça Laura de desfrutar o momento e destacar a importância da diversidade na sociedade. “Estou curtindo ser a primeira pessoa com Down habilitada em Alagoas, sendo uma pioneira, assim outros virão. Todo mundo tem que ter perseverança, vamos lá pessoal”, finaliza. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)