INJÚRIA RACIAL

Brusque recupera pontos perdidos por caso de injúria racial contra Celsinho, do Londrina

O STJD julgou o recurso da equipe catarinense e devolveu a pontuação ao clube, que perderá um mando de campo; a punição do dirigente Júlio Antônio Petermann foi mantida

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou, nesta quinta-feira, 18, o requerimento do Brusque para obter os três pontos perdidos pela injúria racial do dirigente Júlio Antônio Petermann contra o jogador Celsinho, do Londrina-PR, pela Série B, e devolveu os pontos à equipe catarinense.

O relator do caso votou pela manutenção dos pontos perdidos. Mas os outros votantes optaram pela devolução da pontuação ao time catarinense, alegando que a punição deve ser para o dirigente, e não para o clube.

José Perdiz, presidente da sessão, determinou que o Brusque perca um mando de campo em um jogo de campeonato nacional e pague uma multa de R$ 60 mil. A punição a Júlio Antônio Petermann foi mantida integralmente, com suspensão por 360 dias e multa de R$ 30 mil.

Com os pontos recuperados, o Brusque sai de 41 para 44 pontos e dá uma respirada na luta contra o rebaixamento.

Entenda o caso

As injúrias raciais contra o meia Celsinho aconteceram em 28 de agosto, no jogo entre Brusque e Londrina, pela 21ª rodada da competição. Ao término da partida, o jogador afirmou que foi chamado de "macaco" por um membro da diretoria da equipe catarinense.

Na ocasião, o Londrina divulgou um vídeo em suas redes sociais em que é possível ouvir as ofensas contra o atleta da equipe paranaense. O Brusque chegou a negar as acusações de Celsinho e disse que o jogador estaria sendo "oportunista", mas recuou e pediu desculpas, alegando que iria adotar medidas sobre o ocorrido.

O Brusque e o conselheiro do clube foram acusados com base no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva por "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência". (O Povo - é parceiro de oxereta.com)