PREÁ (JERICOACOARA)

Linhas de kitesurfe engancham em picape, e jovem fica ferido quando se preparava para entrar na água na Praia do Preá, no Ceará

Moradores e empresários denunciam falta de fiscalização no trecho de praia do município onde, segundo eles, carros, motos, quadriciclos e buggys transitam livremente causando constantes acidentes.

Um praticante de kitesurfe foi arrastado por um carro enquanto se preparava para entrar na água com o equipamento na tarde do último domingo (2) na Praia do Preá, município de Cruz, litoral oeste do Ceará. Ele teve arranhões nas costas. Na quarta-feira (5), uma turista de São Paulo foi atropelada na faixa de areia da mesma praia.

O professor de uma escola de kitesurf da região que estava acompanhando o rapaz afirmou que estava preparando o equipamento para o aluno entrar na água quando uma picape surgiu em alta velocidade e arrastou a vítima.

"Estava preparando o equipamento para que ele entrasse na água quando de repente apareceu um veículo em alta velocidade e não esperou que a gente baixasse as linhas do kitesurfe para ele passar. As linhas enroscaram no pneu de tal forma que arrancou o kite das minhas mãos e o rapaz começou a ser arrastado. O motorista fugiu sem prestar socorro e ainda saiu reclamando", revela o instrutor.

Em contato com a Secretaria de Meio Ambiente, Turismo, Indústria e Comércio da cidade de Cruz para solicitar esclarecimentos, a reportagem foi informado às 8h59 desta quinta-feira (6) que a demanda seria direcionada para mais informações e a secretaria daria uma resposta o mais rápido possível, contudo até a publicação da matéria a resposta não havia chegado.

De acordo com empresários e moradores da região esse foi só mais um de muitos acidentes que vêm acontecendo no trecho de praia da orla da cidade. A reclamação é principalmente quanto à falta de fiscalização do intenso tráfego de veículos, como motos, buggys e quadriciclos.

"As pessoas vêm de Jericoacoara para passear pela praia do Preá de carro, quadriciclo, picape, UTV, motocicleta entre outros veículos. Já vimos pessoas em grupo fazendo trilhas de moto na faixa de areia. Eu mesmo estava andando na praia e um buggy passou muito perto de mim e, por pouco, não me atropelou. Já enviamos requerimento para a prefeitura, mas não tivemos retorno", relatou um morador.

Ainda segundo populares, professores de kitesurfe credenciados têm de dividir espaço com outros que atuam por conta própria, além de praticantes amadores e estrangeiros que escolhem a região para a prática do esporte. Há também grupos que vêm do município vizinho, Jijoca de Jericoacoara, para dar aulas e aproveitam para estacionar seus veículos sobre a faixa sem qualquer fiscalização. (Mar Azul Notícias / Rádio Mar Azul FM)