PRIMEIROS SOCORROS

Estudante de Enfermagem ensina primeiros socorros em ônibus de Fortaleza

Aos 28 anos, Rubens Queiroz realiza seus trabalhos nos transportes públicos ensinando os passageiros técnicas que podem salvar vidas em situações de urgência

Fernanda Barros - O Povo
Estudante de Enfermagem ensina primeiros socorros detro dos ônibus para pagar a faculdade

Grande admirador dos profissionais da área da saúde e do Corpo de Bombeiros, o estudante de Enfermagem, Rubens Queiroz, embarca desde junho de 2021 nos ônibus de Fortaleza ensinando Suporte Básico de Vida (SBV). As dicas de primeiros socorros têm o intuito de informar as pessoas para casos de urgências e ajudam o estudante a pagar a faculdade.

Com sonho de ingressar na equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192), o rapaz de 28 anos está cursando o quarto semestre da graduação. Atualmente, a única renda dele vem das apresentações nos coletivos.

Vestido com o uniforme dos bombeiros e com uma boneca nos braços, Rubens atrai a atenção dos passageiros ao ensinar procedimentos de como reagir em casos de engasgo, convulsões, desmaios, AVC ou parada cardiorrespiratória.

Entre olhares confusos e de estranhamento diante das apresentações, o jovem conta que, apesar de algumas vezes ter sido alvo de comentários negativos, ele já conseguiu ajudar duas famílias. Graças às dicas de Rubens que, por coincidência, havia embarcado no mesmo coletivo poucos dias antes, os pais souberam o que fazer com os filhos em situações de emergência.

O estudante explica que o interesse pela área da saúde surgiu quando tinha 16 anos, após uma amiga da igreja que ele frequentava ter uma crise de epilepsia. Segundo ele, a jovem caiu ao lado dele com convulsões, e nenhuma das pessoas presentes sabia o que fazer.

“Foi depois desse episódio, em que eu praticamente fiquei de mãos atadas, que coloquei na cabeça que eu queria aprender a salvar vidas, para que nunca mais alguém passasse por aquilo ao meu lado sem que eu não pudesse ajudar”, afirma Rubens.

O rapaz conta que a rotina de segunda-feira a sábado começa muito cedo pela manhã: ele sai de casa às 5h30min e retorna às 15 horas para estudar, após circular por 15 a 20 ônibus. Além da graduação, ele faz curso técnico em Enfermagem.

“Iniciei os trabalhos nos coletivos vendendo mousse e dindin, mas já me apresentava como instrutor de primeiros socorros. Com a pandemia de Covid-19, as pessoas pararam de comprar produtos alimentícios nos transportes públicos, então investi em aprender cada vez mais as práticas de SBV. Passei a ensiná-las nos ônibus para compartilhar o que tenho aprendido e conseguir pagar meu curso.”

Quanto aos sonhos para o futuro, o jovem almeja realizar o desejo de infância de entrar para o Samu. Criado sozinho pela mãe, Rubens tem ainda como grande objetivo pessoal a formação da família dele.

“Quero formar minha família e irei me esforçar, será tudo por meio de muito trabalho. Por isso, eu digo e repito que meu maior sonho no ramo profissional é poder salvar vidas trabalhando no Samu, não me vejo fazendo outra coisa”, declarou o estudante. (O Poo - é parceiro de oxereta.com)