COPA LIBERTADORES 2022

Fortaleza é derrotado por 2 a 1 pelo Colo-Colo na estreia da Copa Libertadores

Aurélio Alves - O Povo
Fortaleza é derrotado por 2 a 1 pelo Colo-Colo na estreia da Copa Libertadores

Na histórica estreia pela Copa Libertadores, o Fortaleza pecou nos erros defensivos e foi derrotado pelo Colo-Colo-CHI por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, 7, com mais de 50 mil torcedores presentes na Arena Castelão. Lucero, aos 37 minutos do primeiro tempo, e Solari, aos 3 da etapa final, marcaram para a equipe chilena, enquanto Renato Kayzer, aos 24 do segundo tempo, diminuiu para o Tricolor do Pici.

Na próxima rodada do torneio continental, o Leão irá viajar até a Argentina para encarar o tradicional River Plate, na quarta-feira, 13, às 21 horas, no estádio Monumental de Nuñez. Antes de enfrentar o “El Millionário”, os comandados de Vojvoda terão um compromisso diante do Cuiabá-MT, no domingo, 10, às 18 horas, na Arena Castelão, pela primeira rodada da Série A.

Pela outra partida do Grupo F da Copa Libertadores, pelo qual o Fortaleza e Colo-Colo fazem parte, o River Plate derrotou o Alianza Lima-PER, fora de casa, por 1 a 0, com gol de Matías Suarez.

O jogo

Apesar da atmosfera favorável ao Fortaleza, foi o Colo-Colo quem controlou as ações do jogo durante boa parte do primeiro tempo. Como é característico do time comandado pelo treinador Gustavo Quinteros, o “Cacique” iniciou o confronto com as linhas altas, pressionando a saída de bola do Tricolor do Pici, estratégia que dificultou bastante as construções ofensivas do clube cearense.

Diante da dificuldade de avançar ao ataque, as tentativas dos comandados de Juan Pablo Vojvoda passaram a ser através de bolas longas para Moisés nas costas do sistema defensivo chileno, mas acabou não sendo eficiente. O Colo-Colo, mais organizado dentro da sua proposta, quase abriu o placar aos oito minutos, mas o zagueiro Benevenuto, em cima da linha, interceptou o chute e evitou o gol.

Em 20 minutos de partida, o Cacique já havia finalizado três vezes no gol defendido por Max Walef, enquanto o Fortaleza, pouco criativo, nenhuma. A posse de bola também tinha certa discrepância: 60% x 40% para os chilenos. Apesar da superioridade inicial, o ritmo intenso do Colo-Colo foi diminuindo com o passar do tempo e, consequentemente, o Tricolor do Pici passou a crescer e se tornar mais perigoso no campo de ataque.

A partir dos 30 minutos, o embate ganhou tom de equilíbrio, com o Fortaleza igualando o número de finalizações (4 a 4) e se aproximando da posse da bola (55% a 45%). No melhor momento do time cearense no confronto, entretanto, o Colo-Colo abriu o placar. Aos 38, Suazo encontrou Lucero pelo lado esquerdo, livre de marcação, que infiltrou na área e bateu cruzado, sem chances de defesa para Max Walef, garantindo a vitória dos chilenos nos primeiros 45 minutos de jogo.

Na volta do intervalo, o Fortaleza adotou uma postura mais ofensiva em busca do empate, enquanto o Cacique recuou as linhas com o intuito de explorar a transição rápida, estratégia que surtiu efeito logo no início da etapa final. Aos três minutos, o Colo-Colo aproveitou a desatenção do Leão no campo de ataque, retomou a posse da bola e saiu em velocidade no contra-ataque. Diante de um sistema defensivo completamente desorganizado, Solari recebeu livre de marcação dentro da área e somente empurrou a bola para os fundos das redes, ampliando a vantagem dos chilenos na partida.

Em desvantagem no marcador, o Fortaleza não desanimou e seguiu tentando se recolocar na partida. Com o apoio da torcida presente na Arena Castelão, o Tricolor, mais intenso e ofensivo, conseguiu criar algumas chances interessantes, principalmente com Moisés, mas as conclusões foram ruins. Aos 24 minutos, entretanto, Zé Welison encontrou Yago Pikachu livre entre as linhas de defesa do Colo-Colo e deu ótimo passe para o ala-direito, que entrou na área e cruzou rasteiro para Renato Kayzer marcar e incendiar o jogo.

O panorama do confronto, então, tornou-se um: o Fortaleza pressionando no ataque em busca do empate, enquanto o Colo-Colo, já sem o mesmo ímpeto físico do início, tentava segurar o 2 a 1. Superior na segunda etapa, o Tricolor aumentou o volume de jogo, pressionou e empurrou o Cacique para o seu campo de defesa, principalmente nos 15 minutos finais.

Já nos acréscimos, Benevenuto teve, em seus pés, a chance de empatar a partida. Após cruzamento de Lucas Crispim, o zagueiro, na pequena área, pulou alto e cabeceou com força, mas a bola carimbou a trave. No rebote, a bola sobrou novamente para o defensor, desta vez com os pés, mas isolou por cima do gol.  (O Povo - é parceiro de oxereta.com)