CELULAR AO VOLANTE

Ceará registrou 4,7 mil infrações de trânsito por uso de celular em 2021 Quando se trata do âmbito nacional, a cada hora, 28 condutores negligenciaram a atenção ao volante, reforçando uma das principais causas de sinistros de trânsito

Quando se trata do âmbito nacional, a cada hora, 28 condutores negligenciaram a atenção ao volante, reforçando uma das principais causas de sinistros de trânsito no Brasil

Mateus Dantas em 25/06/2019
Foto de apoio ilustrativo. Ceará é o 11º estado brasileiro na lista de infrações de trânsito por uso de celular / Homem utilizando telefone celular durante a condução do veículo

O uso do celular tem excedido o limite do recomendado até mesmo no trânsito. Isso fica ilustrado na pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), nessa quinta-feira, 12, que mostra que pelo menos 4.700 casos de infrações de trânsito por uso de celular foram registrados no Ceará, no ano de 2021.

No Estado, os meses que mais tiveram ocorrências foram fevereiro e março, com 2.340 e 1.342 ocorrências registradas, respectivamente. Os dados são compilados através do Registro Nacional de Infrações de Trânsito (Renainf), com a coordenação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

A finalidade do Sistema é criar a base nacional de infrações de trânsito e proporcionar condições operacionais para o registro das mesmas, viabilizando o processamento dos autos de infrações, das ocorrências e o intercâmbio de informações.

No âmbito nacional, o Ceará é o 11º estado brasileiro na lista de infrações de trânsito por uso de celular. No Brasil, cerca de 675 condutores se arriscam todos os dias ao utilizar o aparelho enquanto dirigem, conforme a pesquisa.

Os dados mostram que, a cada hora, 28 condutores negligenciaram a atenção ao volante no País, reforçando uma das principais causas de sinistros de trânsito. O levantamento divulgado pela Abramet mostra ainda que, em todo o País, pelo menos 250 mil condutores foram flagrados utilizando o celular no trânsito em 2021, colocando as próprias vidas e de outros em risco.

Entre os estados brasileiros que acumulam os maiores números desse tipo de infração, São Paulo lidera concentrando mais de 22% dos registros em 2021, com 91.362 ocorrências. Em seguida, vêm os estados de Minas Gerais e Goiás, com 30.843 e 16.971 infrações contabilizadas, respectivamente.

Mesmo sabendo que dirigir exige do condutor atenção totalmente dedicada ao trânsito, é comum flagrar motoristas falando ao telefone, utilizando aplicativos de mensagens ou mesmo acessando redes sociais enquanto trafegam em vias de todo o País. 

Maio Amarelo: um alerta da Abramet

O médico da Associação e especialista em Medicina de Tráfego, Áquilla Couto, explica que os perigos de usar o celular no volante estão relacionados à função mecânica e prática da condução. "O celular na mão impede que você fique com as duas mãos no volante; além de desconcentrar o condutor com relação à própria mecânica da direção, de trocar de marcha."

"Se uma pessoa estiver a 100km/h, quando ela desligar o celular, pelo menos 90 metros precisarão ser percorridos para que ela recupere o total domínio da atenção. Isso é caracterizado como o efeito 'pós-chamada'. Quatro segundos após uma chamada, a nossa mente ainda fica focada no assunto estabelecido segundos atrás no celular. É muito importante que a atenção não seja dividida com o uso do smartphone, sendo prioritariamente destinada à direção veicular”, conta o médico.

Por fim, Áquilla relata que as melhores medidas para tentar reverter essa situação é fazer com que o condutor entenda a gravidade deste uso e o quanto isso impacta na direção veicular. "É claro que a presença das infrações acelera e instiga o condutor à mudança de comportamento durante a direção, mas a educação é a medida mais efetiva para diminuir esses números que a gente tem visto."

Confira as infrações por estado

Por ocasião do Maio Amarelo, a Abramet preparou a campanha "Toque pela Vida", com o objetivo de contribuir no esforço de prevenção ao sinistro de trânsito e conscientização da sociedade sobre a responsabilidade de cada cidadão na construção de uma mobilidade saudável e segura.

“Os números refletem parte de um problema que deve ser enfrentado por todos. Possivelmente o número de pessoas que utilizam o celular na direção é muito maior, o que nos leva a reforçar a necessidade de maior conscientização e engajamento da sociedade para que possamos reduzir os sinistros e preservar vidas no trânsito”, afirma Meira Júnior, presidente da entidade.

Código de Trânsito Brasileiro

Além do perigo de provocar sinistros graves e morte, o uso do smartphone na direção é uma infração de natureza gravíssima. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), aquele que for flagrado pelas autoridades de trânsito segurando ou manuseando o celular enquanto dirige terá que desembolsar R$ 243,47 em multa, além de ganhar sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

A campanha "Toque pela Vida" terá duração de um ano, destacando os principais fatores que influenciam na segurança e na saúde dos condutores: uso do celular, consumo de álcool e drogas, excesso de velocidade, uso do cinto de segurança, cadeirinha infantil, capacete, sono, saúde do condutor e condições do veículo.
“Ao apoiarmos o Maio Amarelo, damos mais uma contribuição para este debate, chamando a atenção da sociedade para a necessidade de prevenção e alertando para alguns fatores de risco de sinistro, entre eles o uso do celular”, acrescenta Meira Júnior. Pesquisas mapeadas pela entidade indicam que o telefone celular é o responsável por quase 50% das atividades que resultam em falha de atenção ao conduzir (FAC). (O Povo - é parceiro de oxereta.com)