PECÉM (SGA)

CSP recebe siderúrgicos do Brasil, Chile e Argentina para o Encontro de Especialistas em Redução

Assessoria de imprensa da CSP
Especialista em alto-forno Erik Vieira (interna) / CSP recebe siderúrgicos do Brasil, Chile e Argentina para o Encontro de Especialistas em Redução

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) foi sede do Encontro de Especialistas de Redução e recebeu profissionais de diversas siderúrgicas da América Latina nos dias 20 e 21 de julho. O encontro, que acontece a cada quatro meses, proporciona troca de informações técnicas, experiências e networking com os melhores profissionais da área. Estiveram presentes 65 pessoas da ArcelorMittal Monlevade, ArcellorMittal Tubarão, Cap Acero (Chile), Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), Gerdau, Ternium Argentina, Ternium Brasil e Usiminas. É a segunda vez que a CSP sedia o encontro.

A abertura contou com a participação do gerente geral da Aciaria da CSP, Kleber Beraldo, representando o superintendente de Produção, Juarez Sigwalt, e do gerente geral de Redução da CSP, Luiz Messias.

“A colaboração mútua entre as siderúrgicas contribui enormemente para o desenvolvimento do setor e, principalmente, para o crescimento dos profissionais dessa área tão importante na siderurgia que é a Redução. Foi uma honra para equipe da Redução da CSP promover o Encontro de Especialistas, mostrando a grandeza e a pujança que é nossa empresa”, destacou Messias e complementou. “A oportunidade de rever amigos e colegas de siderúrgicas nacionais e da América Latina nos trouxe uma alegria imensurável. Foi importante também perceber o crescente número de mulheres envolvidas nesse maravilhoso mundo da siderurgia, que, até pouco tempo atrás, não tinha muita representatividade feminina.”

Patrícia Torres Ambrósio, engenheira de processo na ArcelorMittal Molevaden, comentou que o evento é bastante aberto e as empresas, mesmo concorrentes, trocam informações de resultados, metas e desafios. É o entendimento de que o setor pode crescer junto e, nesse caso, não tem competição, mas, sim, colaboração. “Os encontros são sempre muito interessantes. Estava todo mundo sentindo falta do contato. A gente manteve o encontro online, mas é diferente. A troca de experiência é muito maior pessoalmente”, destacou.

“Além da parte técnica, é bastante proveitosa a convivência durante os dois dias de conversas com profissionais jovens e experientes na área de Redução”, destaca Daniel Muzzi Limões, engenheiro de produção da Sinterização da Usiminas. Daniel achou importante conhecer os bons resultados e os desafios, pois, assim, é possível entender dificuldades semelhantes e ajudar uns aos outros. “Todo mundo tem questões no seu cotidiano, mas é possível compartilhar expertises em favor de todos”, destacou.

Maior fonte de alternativas

O especialista de Alto-forno da CSP, Erik Vieira, conduziu o evento, que é de grande importância para o negócio siderúrgico. “O Encontro de Especialistas representa a maior fonte de alternativas que a área de redução das siderúrgicas pode proporcionar. É uma diversidade de soluções compartilhadas que promovem a robustez de contingências para viabilizar o negócio”.

Ele destaca que percebeu a felicidade dos presentes em cada sorriso, conversa e apresentação. “Foi motivante sentir a presença dos nossos amigos em nossa planta”.

O que é Redução?

Na siderurgia, o processo de Redução consiste na remoção do oxigênio do ferro para ligar-se ao carbono. Até isso acontecer, ocorrem muitos processos químicos e físicos, envolvendo o trabalho de muitas pessoas. Por isso, para fins de classificação de área, considera-se do processo de Redução desde o pátio de matérias-primas (onde são recebidos o minério de ferro, carvão mineral e fundentes) até o Alto-forno, onde ocorre, de fato, a redução para geração do ferro-gusa. O passo seguinte será o processo de aciaria, onde o ferro-gusa se transforma em aço.   (Assessoria de imprensa da CSP)