SAFRA 2022

IBGE prevê safra de 705,5 mil toneladas no Ceará em 2022

Projeção aponta para uma alta de 22,9%, em relação à produção do ano passado

Arquivo Beckman Sementes/Divulgação
Estado tem desenvolvido plantações de grãos, como os de milho

A safra deste ano de cereais, leguminosas e oleaginosas no Ceará deve alcançar 705,5 mil toneladas. O número é 22,9% acima da safra obtida em 2021 (573,9 mil toneladas), porém está 9% abaixo da estimativa de julho. Destaque para produção de milho, com alta de 33,6% em relação à safra de 2021.

Os dados fazem parte do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado nesta quinta-feira, 8, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostra também que a safra brasileira deve alcançar o recorde de 261,7 milhões de toneladas.

Produção nacional deve bater recorde

São 8,5 milhões de toneladas a mais que a safra obtida em 2021. Mas, assim como no Ceará, houve uma redução de expectativa em relação à estimativa de julho.

O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos da pesquisa. Somados, eles representam 91,5% da estimativa da produção e respondem por 87,1% da área a ser colhida. 

“Apesar da redução de 0,7% de julho para agosto, a projeção para 2022 continua sendo recorde. A redução ocorreu devido a problemas climáticos", avalia o gerente da pesquisa do IBGE, Carlos Barradas.

As principais variações negativas ocorreram no Paraná (-865.300 t), em Goiás (-559.010 t) e em Minas Gerais (-532.786 t). 

“Mas vale ressaltar que a área colhida alcançou 73 milhões de hectares, 6,5% maior (mais 4,5 milhões de hectares) que a área colhida em 2021, e 0,1% maior (mais 61,1 mil hectares) que no mês anterior. Esses números mostram que os produtores têm investido no aumento da produção da safra devido aos preços elevados das commodities agrícolas”, reforça Barradas.

No Ceará, há expectativa de avanço também para a produção de tubérculos e raízes. De acordo com o levantamento do IBGE, a safra deste ano deve atingir a marca de 836.587 toneladas. O que, se confirmada, representará uma alta de 25,9% em relação à safra do ano passado. Em relação às projeções feitas em julho, o aumento é de 5,1%.

Dentre os produtos deste segmento, a mandioca se destaca. De acordo com o IBGE, no Ceará, a produção deve salta de 560,3 mil toneladas, em 2021, para 719,6 mil toneladas, neste ano. Alta de 28,4%.

Frutas frescas, carro-chefe do agro cearense, deve atingir 1 milhão de toneladas

A produção de frutas frescas - segmento forte do agronegócio cearense - deve subir 1,15% neste ano, em relação ao ano passado. A estimativa é de 1.046.116 toneladas, o que representa um aumento de 0,27% em relação à projeção do mês anterior e alta de 2,9% em relação à primeira estimativa do ano.

Já no grupo Frutas secas, espera-se para o Estado, em 2022, 68.886 toneladas, o que representa estabilidade em relação ao mês anterior (68.886 t). Em relação à primeira estimativa (61.999 t) há um aumento de 11,11 %. Já em relação à produção obtida no ano anterior (63.078 t) há um aumento de 9,2%.

No segmento de frutos, a expectativa é de que a safra cearense atinja 487.531 mil frutos, o que representa um aumento de 30,4 % em relação ao mês anterior (373.872 mil frutos). Em relação à primeira estimativa (355.836 mil frutos) há um aumento de 37,0%. Já em relação à produção obtida no ano anterior (386.495 mil frutos) há um aumento de 26,1%.

O levantamento também aponta cenário de alta de 8,7% na projeção de safra do grupo Ração Animal no Ceará, perfazendo 1.539.647 toneladas. Ante a previsão de julho há um aumento de 0,2% e de 6,5% sobre a primeira estimativa. 

Já a Horticultura, em 2022, projeta 353.642 toneladas, o que representa um aumento de 7,2% em relação ao mês anterior (329.881 t). Em relação à primeira estimativa (310.522 t) há um aumento de 13,9%. Já em relação à produção obtida no ano anterior (344.896 t) há um aumento de 2,5%. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)