ANÁLISE DA ÁGUA EM FORTALEZA

Análise de qualidade da água do mar em Fortaleza será retomada

Após quatro meses sem ser elaborado, boletim semanal deve voltar a ser emitido a partir da próxima sexta-feira, 16 de setembro

Thaís Mesquita - O Povo
Último boletim publicado sobre praias de Fortaleza refere-se ao período entre os dias 18 e 24 de abril(

Após quatro meses sem avaliar a balneabilidade das praias em Fortaleza, a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) retomou a coleta nesta semana. O boletim semanal deve voltar a ser emitido a partir da próxima sexta-feira, 16 de setembro, após o processo licitatório para a compra de materiais necessários para a realização da análise ser finalizado. 

Conforme Liliane Lira, gerente de Análise e Monitoramento (Geamo) da Semace, afirmou ao O POVO em junho deste ano, a interrupção do serviço aconteceu devido à falta de meio de cultura. "Após o período de conclusão do processo licitatório para aquisição do meio de cultura será retornado os monitoramentos das praias da capital e do estado”, disse.

O professor Fábio Matos, do Instituto de Ciências do Mar (Labomar-UFC), explicou a importância do boletim de balneabilidade e quais fatores são utilizados para determinar se a água está ou não adequada para os banhistas.

“Com a resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), o boletim de balneabilidade busca entender, a partir das amostras, os indicadores biológicos presentes na água, como os coliformes fecais, a escherichia coli (E. coli), os enterococos, que são os mais importantes nessa perspectiva”, disse em entrevista à repórter Germana Pinheiro, da rádio O POVO CBN.

De acordo com Matos, o boletim também observa a balneabilidade do ponto de vista do sistema de esgoto, analisando se há ou não a presença de resíduos sólidos ou líquidos de dejetos. O professor ressalta também que existiam dois boletins: um semanal, para Fortaleza, e outro mensal, para o Ceará. Ambos estão sem atualizações há mais de quatro meses.

De acordo com a Semace, a Resolução CONAMA Nº 274/2000 estabelece que as condições de balneabilidade são obtidas a partir da comparação de resultados de cinco coletas consecutivas. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)