ECONOMIA

Importações cearenses crescem 76%; foram US$ 3,6 bilhões até agosto

Comparado a igual período de 2021, as exportações cearenses mantiveram estabilidade, segundo dados da Balança Comercial

FERNANDA BARROS
Importações cearenses cresceram enquanto as exportações mantiveram estabilidade

Entre janeiro e agosto as importações de produtos para o mercado cearense cresceu 76%, quando comparadas a igual período de 2021. Foram US$ 3,6 bilhões em produtos comprados no mercado internacional. Os dados são do Centro Internacional de Negócios (CIN), da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), tendo como base dados do Ministério da Economia.

"O resultado em 2022 segue o crescimento constatado nas importações desde 2020, quando foram importados o equivalente a US$ 1,5 bilhão, entre janeiro e agosto", diz o relatório Ceará em Comex.

Com relação às exportações, entre janeiro e agosto na comparação com o igual período do ano passado, houve estabilidade. Os dados mostram uma leve retração, de 0,4%. Em 2022, foram US$ 1,716 bilhão em vendas internacionais.

O principal item da pauta internacional produzido e vendido pelo Ceará continua sendo os do grupo "Ferro fundido, ferro e aço". México e Estados Unidos são nossos principais parceiros comerciais em 2022.

Destinos das importações

Segundo o Ceará em Comex, o município de Fortaleza é o que mais importa produtos, respondendo por quase 37% ou cerca de US$ 1,34 bilhão. Isso representa aumento de 106% das importações do Município na comparação com o período de janeiro a agosto de 2021.

As cidades de São Gonçalo do Amarante e Maracanaú aparecem em seguida na lista dos principais importadores.

Os principais parceiros comerciais do Ceará em importações são os Estados Unidos e a China. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)