FESTIVAL DE JORNALISMO NO PIAUI

Festival Piauí de Jornalismo discute mentiras disfarçadas de notícias

Evento reúne especialistas em São Paulo para debates sobre notícias que parecem mentiras e mentiras que parecem notícias

Em sua sétima edição, o Festival Piauí de Jornalismo, que ocorre em 3 e 4 de dezembro, pela primeira vez na Cinemateca Brasileira, na capital paulista, reúne repórteres e editores brasileiros e estrangeiros para debater o cenário político atual, fake news, credibilidade e liberdade de imprensa. Os ingressos para o Auditório do Telão, que transmitirá toda a programação do festival, estão à venda pelo site da Sympla. As entradas para dois workshops gratuitos de criação de canais no YouTube também podem ser reservadas pelo site. Já os ingressos para o Auditório principal estão esgotados.

Com curadoria de José Roberto de Toledo, colunista de política e apresentador do podcast Foro de Teresina, e patrocínio do YouTube, o festival traz debates com o tema Com a Pulga atrás da orelha: Notícias que parecem mentiras e mentiras que parecem notícias.

Serão dez mesas de discussão, com as participações de oito jornalistas estrangeiros e mais de 20 jornalistas dos principais veículos brasileiros de comunicação; e dois workshops gratuitos de criação de canais no YouTube, um no sábado e outro no domingo, oferecidos pelo YouTube, que ocorrerão em um auditório de 100 lugares.

Para as mesas de discussão estão confirmados nomes como Adam B. Ellick, diretor e produtor executivo da seção Opinion Video, do New York Times, produtor do documentário que trouxe ao mundo a História de Malala, em 2009, vencedor do Prêmio Pulitzer, em 2015, e do Emmy, em 2016; a finlandesa Jessikka Aro, ex-repórter de emissora pública na Finlândia e autora do livro Os Trolls de Putin, sobre como Putin criou um exército digital para causar irrupção nas democracias de boa parte do mundo; e a jornalista salvadorenha Julia Gavarrete, do site El Faro, que é especializada em questões políticas, violência e seu impacto em crianças de comunidades vulneráveis.

As mesas terão tradução simultânea. O público receberá fones de ouvido na entrada do auditório para ouvir os debates em português.


Confira a programação completa do 7º Festival Piauí de Jornalismo:


Sábado – 3 de dezembro

9h

Workshop gratuito – Como pensar em uma estratégia multiformato para o seu canal

Case MyNews com Gabriela Bispo (YouTube) e Myrian Clark (editora-chefe do MyNews)

10h

Jessikka Aro / Finlândia

Mediadora: Patricia Campos Mello – Folha de S.Paulo

Mediadora: Flavia Lima – Folha de S.Paulo

12h

Conversa com o YouTube: Atila Iamarino

Mediadora: Patricia Muratori – YouTube

Mediador: Bernardo Esteves – piauí

O divulgador de ciência Atila Iamarino conversará com Patricia Muratori, diretora do YouTube Brasil, e Bernardo Esteves, repórter de ciência da piauí, sobre o combate à desinformação no meio científico em tempos de pandemia.

14h

Alejandra Inzunza / Dromómanos, México

Mediador: Fernando de Barros e Silva – piauí

Mediador: Bernardo Mello Franco – O Globo

16h

Nicholas Johnston /Axios, EUA

Mediador: José Roberto de Toledo – piauí

Mediadora: Aline Midlej – GloboNews

18h

Anna Babinets / Slidstvo, Ucrânia

Mediadora: Dorrit Harazim – O Globo

Mediadora: Thais Bilenky – piauí

Domingo – 4 de dezembro

9h

Workshop gratuito – Como pensar em uma estratégia multiformato para o seu canal

Case Vibra (Grupo Bandeirantes) com Lucia Zaragoza (YouTube) e Allen Chahad (Parcerias Estratégicas da Vibra)



10h

Brandon Feldman /YouTube, EUA

Mediadora: Ana Clara Costa – piauí

Mediador: Pedro Doria – Meio


12h

Foro de Teresina – ao vivo

Thais Bilenky, José Roberto de Toledo e Fernando de Barros e Silva



Os apresentadores do podcast semanal de política da piauí farão uma transmissão ao vivo, em vídeo, pelo canal da piauí no YouTube, e comentarão o momento pós-eleitoral no Brasil. No palco, Thais Bilenky, Fernando de Barros e Silva e José Roberto de Toledo.

14h

Adam Ellick / The New York Times, EUA

Mediador: André Petry – piauí

Mediadora: Natuza Nery – GloboNews

16h

O jornalista e o ditador

Mediador: Breno Pires – piauí

Mediadora: Alana Rizzo – YouTube


18h

Julia Gavarrete / El Faro, El Salvador

Mediadora: Consuelo Dieguez – piauí

Mediador: Ricardo Gandour - ESPM



Bolsa YouTube para universitários

O YouTube, patrocinador do Festival Piauí, ofereceu 15 bolsas com acesso gratuito aos dois dias de festival para estudantes de universidades públicas a fim de impulsionar o acesso à informação e incentivar as boas práticas do jornalismo. As bolsas foram destinadas a alunos de universidades públicas que cursaram o Ensino Médio em escola pública e que são residentes na Grande São Paulo. Dois terços das vagas destinaram-se a alunos autodeclarados negros ou indígenas. A lista dos ganhadores foi divulgada no dia 3 de novembro no site da piauí.




Serviço do Festival Piauí de Jornalismo – 3 e 4 de dezembro

Data: 3 e 4 de dezembro (sábado e domingo)

Horário: 10 às 18h

Local: Cinemateca Brasileira

Endereço: Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino, São Paulo, SP

Ingressos: R$ 150 (Auditório do Telão) e esgotados (Auditório principal)

https://www.sympla.com.br/evento/festival-piaui-de-jornalismo/1684309

*Assinantes compram com desconto. Estudantes e professores pagam meia-entrada.

Informações: https://piaui.folha.uol.com.br/festival-piaui-de-jornalismo

Breve histórico dos convidados estrangeiros:

*Nicholas Johnston (Estados Unidos - Publisher do Axios) - Johnston é um dos fundadores do Axios (ou “valioso”, em grego), foi editor-chefe, e depois foi promovido a publisher. O Axios desenvolveu o estilo Smart Brevity (ou como dizer mais com menos, em tempos de informação mais ágil nos meios digitais), e fez uma pesquisa sobre o modo como as pessoas consomem informação no celular e como isso moldou o sucesso da empresa.

*Brandon Feldman (Estados Unidos - Diretor de parcerias de jornalismo e entidades cívicas do YouTube) - Feldman e sua equipe desenvolvem e distribuem conteúdo em cooperação com organizações de notícias e entidades cívicas. Nos últimos anos, esteve à frente do lançamento de produtos e programas de notícias do YouTube, visando apoiar, em diversos países, o engajamento cívico durante momentos importantes, como as eleições.

*Julia Gavarrete (El Salvador – El Faro) - Jornalista salvadorenha especializada em questões políticas, violência e seu impacto em crianças e comunidades vulneráveis. Desde 2021 trabalha no El Faro. Em 2015, passou a colaborar e apoiar investigações realizadas por meios de comunicação internacionais como CNN, The Intercept, USA Today e Univision Noticias. Um de seus principais objetivos como jornalista investigativa é dar um rosto humano aos problemas enfrentados em seu país.

*Jessikka Aro (Finlândia - Autora do livro Os Trolls de Putin e ex-repórter na Rádio Yle) - Aro escreveu um dos mais interessantes e pioneiros livros sobre como Putin criou um exército digital para causar irrupção nas democracias de boa parte do mundo.

*Alejandra Inzunza (México - fundadora do Dromómanos) - Ela criou e dirige uma plataforma jornalística digital no México e organizou uma rede latino-americana de veículos de jornais e revistas que publicou simultaneamente em mais de dez países artigos em espanhol e português da série Aqui Mando Eu, sobre desmandos e ameaças à democracia no Brasil, México, El Salvador, Venezuela, Nicarágua, Honduras e El Salvador.

*Anna Babinets (Ucrânia – Slidstvo) - Babinets está cobrindo a guerra na Ucrânia praticamente das trincheiras, em Kiev. Ela é editora-chefe de um site investigativo independente chamado Slidstvo. Além disso, ela é editora da OCCRP, a maior rede de jornalismo investigativo da Europa.

*Adam B. Ellick (Estados Unidos – NY Times Opinion) - Diretor e produtor executivo do Opinion Video no New York Times, é vencedor de prêmios Pulitzer e Emmy com suas vídeo-reportagens. Dirigiu a série documental Operation InfeKtion: Russian Disinformation from Cold War to Kanye. Além de produzir reportagens, trabalhou em várias evoluções digitais no Times como autor do Times Innovation Report em 2014.

*O jornalista e o ditador. Um repórter investigativo contará como é fazer jornalismo num regime autocrático.  (Assessoria de imprensa)